Vereadores vão parar na delegacia após parlamentar de licença definir eleição para presidente da Câmara

0
Vereadores registraram boletim de ocorrência após confusão — Foto: Reprodução/Câmara de Votorantim

Polêmica começou quando o presidente da Câmara de Votorantim (SP) resolveu ‘reativar’ o vereador Gaguinho, que estava de licença desde o dia 6, para participar da votação.

Vereadores de Votorantim (SP) registraram um boletim de ocorrência na noite desta quarta-feira (19) após uma confusão na hora de definir a Mesa Diretora da Câmara para o biênio 2019/2020. (Assista abaixo)

De acordo com o vereador Adeilton Tiago dos Santos (PPS), a votação escolheria entre duas chapas: a do vereador Pastor Lilo (MDB) e a da vereadora Fabíola Alves da Silva Pedrico (PSDB).

A Câmara de Votorantim é composta por 11 vereadores, incluindo o atual presidente, Bruno Martins de Almeida (sem partido).

Segundo Adeilton, durante a votação o presidente da Câmara resolveu “reativar” o vereador José Antônio de Oliveira (DEM), o Gaguinho, que estava de licença desde o dia 6 de dezembro, quando foi suspenso pela Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara.

A comissão decidiu afastar o vereador pelo uso do carro oficial da Câmara para viagens particulares e para levar moradores para consultas médicas em outras cidades, entre 2017 e 2018.

Segundo o registro da Câmara, o carro de Gaguinho rodou 42.276 quilômetros, o suficiente para dar uma volta ao mundo. Por isso, a comissão decidiu suspendê-lo de suas atribuições, mas no dia em que saiu essa decisão, ele entrou com um pedido de licença por motivos pessoais, com prazo de duração de 35 dias.

O suplente do vereador na votação era o Pastor Tonhão (DEM), que escolheria a chapa da vereadora Fabíola. Convocado e autorizado pelo presidente da Câmara, Gaguinho voltou da licença mais de 15 dias antes do previsto, votou e elegeu a chapa do Pastor Lilo, que ganhou por seis votos a cinco. Se o Pastor Tonhão tivesse votado, Fabíola ganharia pela mesma quantidade de votos.

Os parlamentares foram até a delegacia para registrar o boletim de ocorrência por abuso de poder do presidente da Câmara, que, assim como Gaguinho, votou na chapa do Pastor Lilo.

Após o impasse, o grupo insatisfeito organizou uma nova sessão com seis vereadores, que é o número necessário, e fez uma segunda votação. Os dois grupos se consideram vencedores e pretendem procurar a Justiça para validar a nova eleição.

Além de Lilo, devem compor a nova Mesa Diretora a partir de 2 de janeiro de 2019 os vereadores Zelão (PT), vice-presidente; Bruno Martins (sem partido), primeiro-secretário; e Luciano da Silva (sem partido), segundo-secretário.