Veículos apreendidos na operação Farra do Tesouro são cedidos para prefeitura de Jales

0
Carros apreendidos pela Polícia Federal quando a operação em Jales foi deflagrada — Foto: Reprodução/TV TEM

A Polícia Federal entregou nesta quinta-feira (28) seis veículos cedidos pela Justiça para a prefeitura de Jales (SP). Os cinco carros e uma moto foram apreendidos na operação Farra do Tesouro, que investigou o desvio de mais de R$ 5 milhões da prefeitura pela ex-tesoureira da cidade.

Os carros e a moto estão avaliados em pouco mais de R$ 270 mil, segundo a Justiça. O representante da prefeitura, que recebeu os veículos, disse que eles vão passar por uma revisão para depois decidir em quais setores do município serão usados.

No início do mês a Justiça determinou também o leilão de alguns bens da ex-tesoureira Érica Carpi de Oliveira. De acordo com o juiz Adílson Vagner Ballotti, da Vara Criminal de Jales, três estabelecimentos comerciais – uma loja de roupas e duas de sapatos, que estão em nome do ex-marido de Érica, Roberto Santos Oliveira – deverão ser vendidos em um leilão.

O ex-marido de ex-tesoureira suspeita de desviar milhões de prefeitura aguarda o processo em liberdade. Já Érica Carpi conseguiu prisão domiciliar no Tribunal de Justiça.

Empresário Roberto Santos Oliveira e a Érica Cristina Carpi Oliveira, ex-tesoureira da Prefeitura de Jales, foram presos na época — Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo
Empresário Roberto Santos Oliveira e a Érica Cristina Carpi Oliveira, ex-tesoureira da Prefeitura de Jales, foram presos na época — Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo

O caso

Érica foi denunciada pelo Ministério Público por formação de organização criminosa, falsidade ideológica, peculato – quando funcionário público pratica crime contra a administração – e lavagem de dinheiro.

A denúncia também aponta a maneira que Érica desviava o dinheiro. Ela criava lançamentos falsos, já que após anotar a lápis a quantia desviada, ela destruía o documento para dificultar uma possível fiscalização.

De acordo com a Polícia Federal, a família usou dinheiro público da educação, e principalmente da saúde, para bancar uma vida de luxo, como a construção de um rancho na zona rural de Jales e pagamentos de festas em buffet.

No primeiro depoimento à PF, Érica confirmou que fazia os desvios desde 2008. O dinheiro, segundo a polícia, ia direto para contas da ex-servidora e até para as empresas do marido, que abriu três lojas de roupas e calçados.

Policial Federal lacra loja de sapatos da ex-tesoureira em Jales; loja vai para leilão — Foto: Rafael Honorato/Arquivo
Policial Federal lacra loja de sapatos da ex-tesoureira em Jales; loja vai para leilão — Foto: Rafael Honorato/Arquivo