Unicamp abre inscrições para 1º vestibular indígena nesta quarta-feira; veja como será a prova

0
Campus da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) (Foto: Antoninho Perri / Ascom /Unicamp)

Universidade oferece 72 vagas em 27 cursos. Comissão organizadora espera pelo menos 800 candidatos e diz que seleção específica representa investimento adicional de R$ 300 mil.

A Unicamp abre nesta quarta-feira (15) o prazo de inscrições para o primeiro vestibular indígena da instituição, com expectativa de atrair pelo menos 800 candidatos. Ela é gratuita e o interessado deve preencher até 14 de setembro um formulário online, incluindo comprovação do pertencimento a uma das etnias indígenas brasileiras. São oferecidas 72 vagas em 27 cursos (veja lista abaixo).

O exame em fase única será aplicado em 2 de dezembro nas cidades de Campinas (SP), Dourados (MS), Manaus (AM), Recife (PE) e São Gabriel da Cachoeira (AM). Ele será formado por uma redação e 50 questões de múltipla escolha, distribuídas em linguagens e códigos (14), ciências da natureza (12), matemática (12) e ciências humanas (12).

De acordo com a comissão organizadora (Comvest), este vestibular específico, criado juntamente com outras medidas que visam elevar a inclusão social na instituição, representa acréscimo de pelo menos R$ 300 mil no investimento em materiais, transporte, segurança e contratações de prédios e banca corretora. O valor total aplicado pela universidade no vestibular 2019 não foi informado.

“Nós não teremos alteração nos protocolos de segurança. Estamos fazendo um esforço para que a informação chegue até as comunidades indígenas”, frisou o coordenador executivo da Comvest, José Alves de Freitas Neto, ao citar que a Unicamp usará transportes aéreo e terrestre na logística.

De acordo com ele, o valor adicional em despesas será compensado pela alta no valor da taxa cobrada dos candidatos que não conseguiram isenção no vestibular 2019, que subiu de R$ 165 para R$ 170. Nesta edição, a universidade concederá benefício para 7,6 mil estudantes.

“Eventuais excedentes da arrecadação são aplicados na estrutura administrativa [da comissão], eventos de formação de professores e apoio a iniciativas estudantis da Unicamp”, ressalta.

O coordenador executivo da Comvest, José Alves de Freitas Neto (Foto: Antonio Scarpinetti / Unicamp)
O coordenador executivo da Comvest, José Alves de Freitas Neto (Foto: Antonio Scarpinetti / Unicamp)

Além de contar com uma equipe de confiança que acompanha de perto o transporte das avaliações – monitoradas por meio de chip eletrônico – a universidade também contará com apoio das polícias federal, civil e militar – de acordo com a disponibilidade de cada estado envolvido.

“As provas serão abertas somente em frente aos candidatos, elas têm um sistema inviolável”, frisou sobre o monitoramento. A Unicamp não confirmou se manterá, nesta edição, o sistema testado na edição anterior que visa combater “colas eletrônicas” durante a realização do processo seletivo.

Requisitos

O candidato inscrito no vestibular indígena precisa realizar o processo em português, comprovar ter cursado o ensino médio integralmente na rede pública ou em escolas indígenas reconhecidas pela rede, ou ter obtido a certificação pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ou exames oficiais.

A “Declaração de Etnia e de Vínculo com Comunidade Indígena” estipula cinco pontos obrigatórios:

  • Informar se o candidato reside na comunidade indígena à qual declara estar vinculado;
  • Apresentar justificativa de como o vínculo pode ser comprovado, caso indique não residir na terra ou comunidade indígena;
  • Indicar o nome completo de três lideranças indígenas que assinarão a declaração de etnia e de vínculo com esta comunidade indígena.
  • Informar dados de contato das mesmas três lideranças indígenas;
  • Indicar nome do órgão regional da Funai que poderá atestar a existência e a localização da desta comunidade.

Vagas disponíveis

Entre as 72 vagas disponíveis, 23 foram retiradas do total de vagas oferecidas no exame tradicional do vestibular 2019, enquanto as outras 49 foram criadas especificamente para esta seleção.

Cada candidato pode assinalar duas carreiras como opção no momento da inscrição. Inicialmente, serão convocados para cada curso os estudantes que o indicarem como prioridade. Depois disso, caso vagas não sejam preenchidas, a universidade convocará os demais, informou a Comvest.

As opções são: administração, administração pública, arquitetura e urbanismo, artes cênicas, artes visuais, ciências do esporte, ciências econômicas, ciências sociais, comunicação social-midialogia, dança, enfermagem, engenharias agrícola, de manufatura, de produção e elétrica; estudos literários, farmácia, filosofia, geografia, geologia, história, letras, licenciatura integrada química/física, linguística, música: licenciatura, nutrição, pedagogia e tecnologia em saneamento ambiental.