Turista se revolta após ser dada como morta em boato na web: ‘Viva’

0
Jovem foi dada como morta após boato em rede social (Foto: Arquivo Pessoal)

Mabhya Ribeiro gravou vídeo ao lado do suposto assassino que, na verdade, é seu amigo. Rapaz chegou a ser agredido por moradores e comerciantes.

Uma turista de São Paulo que passou o feriado da Independência em Praia Grande, no litoral do Estado, foi dada como morta após a divulgação de um boato por meio das redes sociais.

A foto do suposto assassino, que na verdade é um amigo dela, também foi amplamente divulgada, e o rapaz acabou sendo agredido. Com medo da repercussão do caso, a estudante Mabhya Ribeiro resolveu gravar um vídeo para provar que estava viva.

A história da suposta morte de Mabhya começou a circular nas redes sociais no domingo (10), após moradores e comerciantes do bairro Vila Caiçara terem compartilhado fotos da jovem desacordada no chão, afirmando que ela havia sido assassinada.

Ela e o amigo Rodrigo Augusto, apontado como o “assassino”, estavam na praia, bebendo e aproveitando o feriado, quando Mabhya passou mal. “Acabei bebendo demais. Estávamos curtindo o fim de semana”, relata.

Foto da jovem 'morta' foi publicada nas redes sociais e assustou familiares (Foto: Arquivo Pessoal)
Foto da jovem ‘morta’ foi publicada nas redes sociais e assustou familiares (Foto: Arquivo Pessoal)

Ao perceber o mal-estar da amiga, Rodrigo a carregou até o mar para molhar o rosto de Mabhya. Neste momento, segundo os amigos, a confusão aconteceu.

“Ela passou mal, e nós a levamos a beira da água para que ela molhasse o rosto. Pessoas do quiosque chegaram me agredindo, e eu estava voltando com ela no colo. Vieram de encontro comigo dizendo que eu queria matá-la. Não nos deixaram explicar”, falou.

As agressões, segundo o rapaz, pararam apenas com a chegada da Polícia Militar e dos bombeiros, que efetuaram os primeiros socorros à jovem. “Graças a Deus, os bombeiros e a polícia chegaram. Ela foi levada para o PS, e eu fui à delegacia para fazer um boletim de ocorrência após ter sido agredido por um grupo de homens”, explicou Rodrigo.

A confusão tomou rapidamente as redes sociais. Páginas no Facebook afirmaram que o homem havia matado a jovem. As postagens tiveram milhares de comentários e centenas de compartilhamentos, acusando o rapaz, que, nesta segunda-feira (11), gravou um vídeo para esclarecer tudo.

“Estão me acusando, falando que eu queria matá-la. Falaram muitas vezes que sou um lixo, que eu queria matá-la, mas, na verdade, só queria ajudar minha amiga”, relatou Rodrigo.

Também no vídeo, Mabhya esclareceu o ocorrido na praia da Vila Caiçara no último domingo. “Não só acusaram meu amigo, como postaram afirmando que eu havia morrido. Furtaram o celular da minha amiga. Isso sim seria um caso de polícia. Como vocês podem ver, estou viva graças a Deus. Foi um porre como qualquer outro. A minha família ficou muito preocupada”, finalizou.

Outro lado
Em contato com o G1, um dos administradores da página ‘Praia Grande Mil Grau’, responsável por publicar o boato, lamentou o ocorrido e a postagem. “Queremos nos retratar e esclarecer o caso. Recebemos mensagens de três seguidores falando que o homem havia tentado afogar a jovem e que eles haviam sido agredidos pelo rapaz. No começo da noite, uma dessas pessoas enviou uma mensagem informando que a jovem havia morrido. Recebemos os esclarecimentos e ficamos à disposição para esclarecer tudo da melhor maneira possível.”

Menina mostra que está viva (Foto: Reprodução/Praia Grande Mil Grau)
Menina mostra que está viva (Foto: Reprodução/Praia Grande Mil Grau)