Suspeito de matar a filha de cinco anos é preso

0
Criança de 5 anos foi encontrada morta na casa da família na Tijuca (Foto: Elisa Souza)

Suspeito foi encontrado em um hospital psiquiátrico no fim da noite.
Polícia encontrou evidências de que ele teria matado a criança.

O suspeito de matar a filha de cinco anos na Tijuca, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi preso pela Divisão de Homicídios (DH), nesta terça-feira (25), como informou o Bom Dia Rio.

A DH, quando periciou o local na manhã de domingo (23), conseguiu evidências fortes de que o pai havia matado a filha, asfixiando a criança e depois fugindo. Ele deixou algumas mensagens, que indicam que ele era o autor,” afirmou o delegado Fábio Cardoso.

O homem foi encontrado pelos agentes em uma unidade psiquiátrica. A criança pode ter sido morta durante um surto.

“Ele vinha tendo problemas, desde que separou da mulher, problemas psiquiátricos. De 15 dias para cá, essas questões aumentaram por problemas pessoais. Então ele teve esse surto e acabou matando a filha,” destacou Fábio Cardoso.

Mudança de comportamento
De acordo com o comandante do 6° BPM, coronel Vinícius Mello, os policiais foram chamados pela avó paterna da criança, que afirmou que o filho teria tido um surto e matado a menina por estar desempregado. O homem teria se separado da mãe da criança em 2012 e, desde então, teria sofrido algumas mudanças de comportamento.

Segundo a Divisão de Homicídios, os avós paternos e mãe da menina já foram ouvidos pela polícia. Na casa onde a criança foi encontrada, viviam o pai e os avós. Os pais da criança eram separados e a menina vivia em guarda compartilhada.

O crime aconteceu durante a madrugada. Quando os avós foram ver, a criança estava morta. Uma das hipóteses da causa da morte é asfixia, mas a polícia ainda aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML).

Segundo o delegado Fábio Cardoso, mensagens enviadas por Marcus Vinicius pelo WhatsApp indicam que ele tenha feito algo contra a filha de 5 anos.

“A DH teve acesso a conversas dele com familiares, e isso está sendo mantido sob sigilo pra não atrapalhar a investigação, mas essas comunicações indicam algo que ele teria feito contra a própria filha de 5 anos”, disse Cardoso.

Ainda de acordo com a polícia, a menina apresentou uma mudança de comportamento nos últimos tempos. “A gente teve acesso ao perfil da criança e realmente teve uma mudança, um comportamento diferente com o condizer dele, que coloca o pai como a pessoa que teria asfixiado essa criança”, disse o delegado.

Segundo as investigações, o crime foi silencioso. “Já ouvimos testemunhas suficientes para apontar que ele estava na casa no momento. Ele sumiu, desapareceu da casa estranhamente, algo que não acontecia. Isso é mais um indicativo, além de outras informações que a DH já conseguiu arrecadar no local ontem [domingo]”.

Nos últimos quatro anos, segundo a polícia, o pai da menina vinha usando medicamentos que podem acarretar algum tipo de anormalidade.

DEIXE UMA RESPOSTA