STJ nega pedido de habeas corpus de empresário acusado de mandar matar advogado

0
Conhecido como Thui Seba, advogado foi morto a tiros em Rio Preto (Foto: Reprodução/Facebook)

Cláudio Yuri Baptista está preso desde agosto depois que sócio morreu ao ser atingido por tiro na nuca em Rio Preto (SP). Advogados de defesa do acusado disseram que aguardam julgamento de mérito.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, esta semana, o pedido de liminar em um novo habeas corpus para anular a prisão do empresário acusado de mandar matar um advogado de Votuporanga (SP). O crime foi em julho de 2017, em um loteamento de São José do Rio Preto (SP).

Cláudio Yuri Baptista está preso desde agosto depois que seu sócio, o advogado José Arthur Vanzella Sebba, de 32 anos, foi morto com tiros na nuca. Ele era filho do secretário de Planejamento de Votuporanga, Jorge Augusto Sebba.

STJ nega habeas corpus de empresário acusado de mandar matar advogado em Rio Preto

A TV TEM entrou em contato com os advogados de Cláudio Yuri e eles disseram que estão refazendo a documentação para tentar colocar o acusado em liberdade. Eles aguardam o julgamento do mérito deste segundo habeas corpus no STJ e afirmaram também que fizeram um pedido para a realização de perícias, que ainda não foi analisado pela Justiça.

O inquérito policial apontou Cláudio Yuri como o mandante do crime. Ele teria contratado por R$ 50 mil um matador de aluguel, que também está preso, para matar o então sócio.

De acordo com a polícia, o motivo do crime seria três apólices de seguro de vida da vítima em que o beneficiário era o sócio.

No dia do crime, eles visitaram um terreno na Zona Norte de Rio Preto, que seria comprado pelos dois. Em depoimento à polícia, no dia do crime, Cláudio Yuri disse que um desconhecido foi ao local e se apresentou como corretor de imóveis. José Arthur teria discutido com o homem, que sacou a arma, atirou e matou o advogado.