Sorocaba e Jundiaí registram alta taxa de abstenção no segundo turno das eleições

0
Sorocaba e Jundiaí registram alta taxa de abstenção no segundo turno das eleições — Foto: Reprodução/TV TEM

57.403 eleitores não apareceram para votar em Sorocaba e 56.638 em Jundiaí. Quem deixou de votar tem um prazo de 60 dias para regularizar a situação.

Foi grande o número de eleitores que não foram às urnas na região de Sorocaba e Jundiaí (SP) neste domingo (28). Quem deixou de votar e está em dívida com a Justiça Eleitoral tem um prazo de 60 dias para regularizar a situação.

56.208 eleitores não apareceram para votar no primeiro turno em Sorocaba e no segundo turno foram 57.403 abstenções. Um aumento de 2,12%. Além disso, no primeiro turno 11.585 eleitores votaram em branco e no segundo o número caiu para 10.454. Já os votos nulos foram 29.376 no primeiro turno e agora subiram para 41.266.

O eleitor que não votou no primeiro turno tem até 6 de dezembro para fazer a justificativa no cartório ou pelo site do Tribunal Superior Eleitoral. O prazo para quem não foi às urnas no segundo turno vai até 27 de dezembro. Quem não justificar a ausência até essas datas tem que pagar a multa de R$ 3,51 por turno.

Com o fim das eleições, todos os serviços do cartório eleitoral de Sorocaba vão funcionar normalmente a partir da segunda-feira (5).

“Agora nós estamos recebendo as justificativas dos eleitores e também aqueles que não têm uma justificativa para apresentar estão fazendo o pagamento da multa devida. Agora a abertura do cadastro vai ser a partir do dia 5 de novembro. A partir daí o eleitor já vai poder fazer o seu alistamento, transferência ou revisão do título eleitoral”, explica a chefe de cartório eleitoral Laurinda Ana de Negreiros.

Com o processo de biometria, 458.748 eleitores estavam aptos para ir às urnas na cidade. 88.109 eleitores não fizeram o processo de identificação digital e ficaram proibidos de votar.

Tanto no primeiro como no segundo turno das eleições, 6.400 eleitores não tiveram as digitais reconhecidas pelo sistema de biometria. Por causa disso, tem gente achando que precisa fazer um novo cadastramento. Se isso aconteceu com você na hora de votar não fique preocupado.

“Foi um problema de inconsistência no sistema elo, que é o sistema de cadastro dos eleitores. Então, esse problema já estão sendo sanadas as causas, o eleitor não precisa retornar ao cartório para fazer uma nova coleta”, completa Laurinda.

Faz tempo que o vendedor Carlos Bonfim está em falta com a Justiça Eleitoral. Em 2014, ele não votou no segundo turno das eleições e, neste ano, não foi às urnas nenhuma vez e ainda perdeu o prazo do cadastramento biométrico.

Resultado: título cancelado e multa para regularizar a situação. “Eu estava envolvido com o trabalho e aí terminou passando”, explica.

Em Jundiaí, 56.638 eleitores não votaram neste segundo turno, mais de 18% do total. O eleitor que não regularizar a situação fica impedido de tirar passaporte, assumiu cargo público ou fazer matrícula em uma institutição pública de ensino.