Sertanejo, motociclista e garupa mortos em acidente tinham ingerido álcool, aponta laudo

0
Cantor sertanejo Fernando Ferraz Barbosa morreu em acidente em Itatiba (Foto: Gustavo Braga/Arquivo pessoal)

Colisão entre carro e duas motos ocorreu na rodovia Alkindar Monteiro Junqueira, em Itatiba, em julho. Dos quatro envolvidos, um motociclista sobreviveu, mas precisou amputar uma perna.

Os laudos do acidente que matou o cantor sertanejo Fernando Ferraz Barbosa, de 35 anos, e dois rapazes em uma moto na rodovia Alkindar Monteiro Junqueira, em Itatiba (SP), em julho, foram divulgados pela Polícia Civil nesta segunda-feira (16). Conforme os exames, havia presença de álcool no sangue das três vítimas.

O laudo feito pelo Instituto Médico Legal (IML) de Jundiaí, apresentou 1,3 grama de álcool por litro de sangue no corpo do cantor e de um dos rapazes que estava moto, e 1,4 grama na terceira vítima.

Com o impacto entre os três veículos, os dois rapazes de 18 anos, Fernando Victor Uchoa e Wallacy Dias, que estavam na mesma moto, morreram no local. O carro de Fernando capotou e foi localizado com o airbag acionado.

O condutor da outra motocicleta envolvido no acidente foi socorrido e precisou amputar uma das pernas. O rapaz foi intimado para prestar depoimento à polícia.

De acordo com o resultado apresentado pelo Instituto de Criminalística (IC), no momento do acidente a rodovia estava sem iluminação, e os pneus do carro apresentavam bom estado. No entanto, o veículo do cantor saiu da pista sentido Bragança Paulista e invadiu a via no sentido contrário, o que teria causado o acidente com duas motos.

O pai de Fernando disse à polícia que ele era de Louveira (SP) e estava a caminho da casa da namorada, em Bragança Paulista.

Os dois jovens de 18 anos foram velados no cemitério municipal e enterrados no cemitério Parque das Acácias, em Itatiba. O cantor foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Tuiuti (SP).

Cantor sertanejo Fernando Ferraz Barbosa morreu em acidente (Foto: Gustavo Braga/Arquivo pessoal)
Cantor sertanejo Fernando Ferraz Barbosa morreu em acidente (Foto: Gustavo Braga/Arquivo pessoal)

Laudo toxicológico

Segundo o IML, o índice de álcool apresentado no laudo, de 1,3 e 1,4 grama de álcool por litro de sangue, é considerado alto.

De acordo com a Lei Seca, é considerado crime quando o motorista é flagrado conduzindo veículos com índice de álcool no sangue superior a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar expelido ou 6 decigramas por litro de sangue.

A pena de detenção pode variar de seis meses a três anos, multa e suspensão temporária da carteira de motorista ou proibição permanente de obter a habilitação.

Abaixo de 0,34 miligramas de álcool, é considerado infração de trânsito, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, que estabelece multa de R$ 2.934,70, além de responder a processo administrativo junto ao Detran para a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Os motoristas também têm a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida. Se o motorista tiver cometido a mesma infração nos 12 meses anteriores, o valor da multa é dobrado.

‘Era querido’

Fernando formava dupla com o amigo Gusttavo Braga, de 31 anos, há quase um ano e meio. Antes disso, os dois participavam de uma banda de country sertanejo. Os amigos ficaram distantes por 10 anos, até que em um churrasco resolveram voltar a cantar juntos.

“Ele já estava seguindo carreira solo há seis anos. Sempre mexemos com música, participamos do coral da igreja e nesse churrasco tivemos a ideia de formar a dupla. Fazíamos show pelo sul de Minas Gerais, interior de São Paulo e também na capital. Menino cuidadoso também na estrada, ia sempre dirigindo, era responsável”, disse o amigo na ocasião.

No dia do acidente, Gusttavo lembra que a notícia chegou pelo telefonema desesperado da esposa perguntando se sabia do amigo, que tinha residência em Louveira (SP) e trabalhava em Itatiba.

“Não sabia de nada, não tinha pego o celular para olhar. Entrei em contato com a irmã do Fernando e ela confirmou que ligaram para ir reconhecer o corpo. A gente era amigo desde adolescente e não só isso, ele ia batizar meu filho pequeno”, lamentou.

Amigo do cantor disse que dupla  tinha shows marcados  (Foto: Gustavo Braga/Arquivo pessoal)
Amigo do cantor disse que dupla tinha shows marcados (Foto: Gustavo Braga/Arquivo pessoal)