Serralheiro que matou ex-mulher a facadas é condenado a 33 anos de reclusão

0
Ana Lúcia Silva morreu esfaqueada pelo companheiro em Salto — Foto: Reprodução/Facebook

Por: G1 Jundiaí/Sorocaba

O serralheiro que assassinou a facadas a ex-companheira Ana Lúcia Silva, de 49 anos, em Salto (SP), foi condenado a 33 anos de reclusão em regime inicial fechado. O júri popular foi realizado nesta quinta-feira (21).

Marcos Laureano, de 39 anos, foi condenado por feminicídio contra a mulher e tentativa de homicídio contra o enteado. A decisão ainda cabe recurso.

Na sentença, o juiz Claudio Campos da Silva, que presidiu o júri, afirmou que o Conselho de Sentença reconheceu a autoria e as qualificadoras de motivo fútil, meio cruel e recurso, que impossibilitaram a defesa da vítima.

O filho da vítima, que tinha 23 anos, estava em casa no dia do ataque e conseguiu fugir gravemente ferido. Os dois foram atacados por Marcos na região central de Salto.

As vítimas foram levadas ao Hospital São Camilo, mas a mulher morreu no hospital. O criminoso conseguiu fugir após o crime e só foi localizado pela polícia no Jardim Independência. Conforme a PM, o acusado tentou tirar a própria vida quando viu os policiais, mas foi detido.

Entenda o caso

Mãe e filho dormiam na manhã do dia 17 maio de 2018 quando foram pegos de surpresa pelo agressor armado com uma faca. Segundo o jovem, o ex-padrasto não aceitava o fim do relacionamento e era usuário de drogas.
“Foi tudo muito rápido. Mas eu só sobrevivi porque minha mãe o impediu de me matar. Acordei às 7h e às 7h30 já estava sendo socorrido pela ambulância”, disse o filho em entrevista ao G1.

Marcos Laureano esfaqueou o jovem várias vezes no pescoço. Em seguida, atacou a ex-companheira. Mesmo gravemente ferido, o rapaz conseguiu fugir para pedir socorro enquanto a mãe segurava o criminoso.

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que ele saiu coberto de sangue na rua e vizinhos chamaram o resgate. A mulher não resistiu ao ataque.
Cicatrizes
O assassinato de Ana Lúcia foi lembrado no especial sobre feminicídio que o G1 publicou em agosto do ano passado.

Atualmente, Leonardo da Silva Bezerra, sobrevivente do ataque, mora com o pai e passa diariamente por fisioterapia por conta dos golpes de faca terem acertado partes do pescoço.

Segundo o filho, Ana Lúcia era uma pessoa doce com a família e conheceu o agressor quando ainda eram vizinhos. O relacionamento durou seis anos com histórico turbulento de crises do ex-padrasto. Marcos tentou suicídio após o crime, mas sobreviveu.