SEM LICITAÇÃO, COMUNICAÇÃO DIGITAL DO PLANALTO VAI CUSTAR R$ 4,8 MILHÕES

0

Sem citar dados do coronavírus e da Organização Mundial da Saúde, o vídeo mostra foto de trabalhadores que poderão ficar sem emprego

Um vídeo com assinatura do governo federal deu início a uma campanha institucional para defender a flexibilização do isolamento social por conta da crise do coronavírus. Chamada “O Brasil não pode parar”, a iniciativa do Planalto é incentivar que as pessoas voltem ao trabalho para retomar a atividade econômica do País.

Sem citar dados do coronavírus e da Organização Mundial da Saúde (OMS), o governo lançou um vídeo que cita trabalhadores informais e assalariados como justificativa para que a quarentena decretada em alguns estados seja revogada. O vídeo não foi compartilhado nos canais oficias do governo, mas o filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, postou em suas redes sociais com o pedido para que os seguidores compartilhassem o material.

No Instagram, uma publicação feita no perfil do governo federal diz que “no mundo todo, são raros os casos de vítimas fatais do coronavírus entre jovens e adultos”.

“A quase totalidade dos óbitos se deu com idosos. Portanto, é preciso proteger estas pessoas e todos os integrantes dos grupos de risco, com todo cuidado, carinho e respeito. Para estes, o isolamento. Para todos os demais, distanciamento, atenção redobrada e muita responsabilidade. Vamos, com cuidado e consciência, voltar à normalidade”, diz o texto.

O presidente Jair Bolsonaro também usou suas redes sociais para defender a ideia. O capitão compartilhou vídeo de uma carreata em Santa Catarina que pedia o fim da quarentena. As pessoas, que estavam isoladas dentro de seus carros, buzinavam em protesto para que os trabalhadores retomassem suas rotinas. O vídeo, no entanto, foi apagado do perfil do presidente.

Nesta quinta-feira, 26, Bolsonaro disse que a reação negativa na internet envolveu cerca de 70% dos comentários. O presidente afirmou, no entanto, que vai reverter essa imagem, mostrando que o povo foi “enganado” sobre a propagação do coronavírus.

De acordo com a atualização diária do Ministério da Saúde sobre os casos de coronavírus, o Brasil tem 2.915 infecções confirmadas da covid-19 e 77 óbitos até o momento, segundo anunciado pela equipe de saúde nesta quinta-feira 26.