Ricardo Gomes lamenta decisão da Conmebol, mas diz confiar em vaga; Casão critica Santos: “Erro inadmissível”

0
Foto: Divulgação

Executivo de Futebol fala ao Globo Esporte após punição do Peixe no “Caso Sánchez”; Casagrande diz que clube deveria ter checado todo o passado do uruguaio

Ricardo Gomes, executivo de futebol do Santos, participou do Globo Esporte SP nesta terça-feira para falar sobre a punição ao clube por conta do “Caso Sánchez” – a Conmebol entendeu que o Peixe usou o jogador uruguaio de forma irregular no empate em 0 a 0 com o Independiente, na partida de ida das oitavas de final da Libertadores, semana passada, em Avellaneda, e alterou o placar para 3 a 0 em favor dos argentinos.

– Não vou falar revoltante, mas quase isso. No plano jurídico tem o recurso, e agora tem o plano esportivo, vamos ver se conseguimos a reviravolta – disse Ricardo Gomes.

– O Cuca não preparou o time para esse caso, mal teve tempo para treinar, imagine para isso. Mas temos um apoio muito importante, que é da nossa torcida, e estou muito confiante nessa reviravolta. Acabei de chegar da reunião da Conmebol para a preparação do jogo, ainda não conversei com o Cuca. Mas conhecendo ele e nossos jogadores, temos uma chance. Não teve a preparação, mas tendo o apoio da nossa torcida, até de quem não é da torcida do Santos, está bem claro que vai ser um jogo importantíssimo, apesar dos pesares – completou o dirigente.

Na volta do link para o estúdio, o comentarista Walter Casagrande Jr deu sua opinião sobre o caso. Para ele, o Santos errou ao confiar no sistema da Conmebol e não checar corretamente a situação de jogo de Carlos Sánchez.

– O que é impossível é errar desse jeito, isso é impossível e inadmissível. Não tem cabimento você não saber que o jogador está suspenso. Quando você contrata um jogador, tem de saber tudo o que aconteceu no passado. Tem de saber tudo, é inadmissível. Mas pode ser que essa situação dê mais um gás, uma “raiva positiva”, mostrar para eles que podem ganhar – disse Casão.

Mais tarde, em participação no Seleção SporTV, Ricardo Gomes reclamou da proximidade entre o jogo e a decisão administrativa da Conmebol.

– Na minha cabeça, o que é mais estranho é esse julgamento no dia do jogo.

No início da tarde, o Santos publicou nova nota oficial sobre o assunto:

“O SANTOS FUTEBOL CLUBE vem a público, diante da lamentável e constrangedora decisão da Unidade Disciplinar da CONMEBOL, manifestar seu repúdio ao critério de (in)justiça utilizado, com notório tratamento desigual da Entidade Máxima do futebol sul-americano com os Clubes brasileiros.

A postura da decisão, em reflexo do que foi vivido na audiência realizada ontem na CONMEBOL, revela a desigualdade e a incompatibilidade de armas dos Clubes disputantes da Conmebol Libertadores, especialmente quando atribui ilegalmente uma dupla punição ao Santos FC, determinando um placar de 3×0 no primeiro confronto em favor do Independiente e também retirando o atleta Carlos Sanchez da partida de hoje. Esse bis in idem punitivo é frontalmente contrário ao estabelecido no Código Disciplinar da FIFA.

Diante desta instabilidade no cenário político vivido pelos Clubes brasileiros na CONMEBOL, há uma necessidade premente de uma união de todos os representantes do desporto brasileiro em torno de nossas convicções, para que o nosso futebol não venha a ser grosseiramente prejudicado não só nas quatro linhas como fora delas.

Registramos, derradeiramente, que este Tricampeão da Libertadores e que por duas vezes levou o nome do futebol sul-americano ao topo do Mundo irá até as últimas instâncias para defender o seu direito de competir em igualdade, bem como não esmorecerá na busca incessante pela justa indenização pelos prejuízos já causados.”