Rajadas de vento chegam a 100 km/h durante tempestade em Porto Alegre

0
Ventos derrubaram árvores na avidida Cristiano Fischer, em Porto Alegre (Foto: Léo Saballa Jr/RBS TV)

Segundo Ceic, tempestade deste domingo é a pior desde a registrada em 29 de janeiro de 2016, com ventos de 120 km/h.

Um temporal atingiu Porto Alegre, com chuva intensa e rápida e ventos que, segundo o Centro Integrado de Comando (Ceic), chegaram a 100 km por hora, no início da noite deste domingo (1). Houve registros de raios e queda de granizo.

Transtornos se espalharam pela cidade em função da chuva forte. E, na Avenida Ipiranga, uma árvore atingiu um veículo que passava, como mostra o vídeo da da Empresa de Transporte Público e Circulação (EPTC). Ninguém ficou ferido.

Cinco pessoas ficaram feridas, sem gravidade, no desabamento da lona de um circo, localizado nas imediações do Estádio Beira-Rio. Além disso, o teto do ginásio da Brigada Militar desabou com a força dos ventos, na avenida Ipiranga.

Ginásio da Brigada Militar ficou sem telhado com a força do vento em Porto Alegre (Foto: Léo Saballa Jr/RBS TV)
Ginásio da Brigada Militar ficou sem telhado com a força do vento em Porto Alegre (Foto: Léo Saballa Jr/RBS TV)

O palco do Jardim Botânico, onde estava previsto um concerto da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), onde estava previsto um concerto, também foi danificado pela chuva. Não há informações sobre feridos.

Concerto da Ospa acontecia no Jardim Botônico no memento da tempestade (Foto: Gilvania Banker/arquivo pessoal)
Concerto da Ospa acontecia no Jardim Botônico no memento da tempestade (Foto: Gilvania Banker/arquivo pessoal)

De acordo com a EPTC, em vários pontos da cidade foram registrados acúmulos de água. Foram 32 ocorrências com árvores e nove com postes bloqueando vias.

Ainda segundo Ceic, ventos de 95 km por hora foram registrados no Aeroporto Salgado Filho, e rajadas excedem a 100 km por hora em outros pontos de Porto Alegre.

Segundo o Ceic, foi a pior precipitação desde a tempestade severa do dia 29 de janeiro de 2016, que registrou 120 km por hora de ventos e destruiu telhados, derrubou árvores e deixou a cidade sem luz.

Como explica o meteorologista Cléo Kuhn, o temporal é decorrência de áreas de instabilidade associadas a frente fria sobre o mar. “É uma situação normal, áreas que se formam junto com a frente fria, a intensidade delas é variável”, afirma. Ainda segundo ele, há chuva prevista para amanhã, mas sem forte intensidade. Para terça, a previsão é de sol.

Trensurb interrompido

Ainda devido ao forte temporal e a queda de uma árvore que atingiu a rede aérea nas proximidades da Estação São Leopoldo, os trens circulavam somente entre as Estações Mercado, em Porto Alegre, e Mathias Velho, em Canoas.

A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) informou a quantidade de clientes sem luz na noite de domingo via Twitter.