Promotor recorre da decisão de liberdade provisória a motorista alcoolizado que pegou arma de PM

0
Motorista - Jornal bom dia
Motorista e policial brigaram durante a ocorrência em posto de combustível de Palestina — Foto: Reprodução/TV TEM/Arquivo

O promotor de Justiça Gustavo Yamaguchi recorreu da decisão judicial que determina a liberdade provisória ao motorista embriagado de 18 anos que provocou um acidente de trânsito e arrancou a arma de um policial militar. O PM e um advogado foram baleados pelo jovem em Palestina (SP), na noite do dia 15 de setembro deste ano. O promotor deu entrada no recurso na sexta-feira (14).

Valdinei Molina Júnior, que não possui carteira de habilitação, chegou a ser preso em flagrante pela Polícia Civil, mas acabou solto durante a audiência de custódia.

No entanto, a promotora Ana Beatriz Pravuni Costa Silveira recorreu da decisão dois dias após o caso. Já a liberdade provisória foi concedida ao final da audiência realizada no dia 11 de dezembro.

Entenda o caso

O motorista estava ingerindo álcool em uma conveniência de um posto de combustíveis, segundo a polícia, quando bateu no muro vizinho ao sair com o carro. A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência de acidente de trânsito.

O policial estava conversando com uma testemunha quando o motorista arrancou a arma da cintura dele. Os dois começaram a brigar e caíram no chão.

A câmera de segurança de um posto de combustíveis registrou a ação. Pelas imagens é possível ver o momento em que o tiro acerta o policial militar, que leva a mão ao rosto. Outro disparo atinge a testemunha. O outro policial militar consegue imobilizar o motorista e pede socorro pelo rádio da viatura

O policial militar Vinícius Franco Ferreira e o outro homem baleado, um advogado, foram levados para o Hospital de Base de Rio Preto onde foram socorridos e liberados.