Procedimento que fez Palmeiras recuperar Jean é raro no futebol e teve até infusão de célula-tronco

0
Foto: Divulgação

Dores crônicas no joelho direito levaram jogador a temer pela continuidade da carreira

Em janeiro, Jean, volante do Palmeiras, teve uma conversa com a esposa sobre o futuro. Com dores crônicas no joelho direito, resultado de um desgaste na cartilagem que aumentava a cada temporada, explicou a ela que talvez tivesse de abandonar a carreira. Aos 31 anos.

O tratamento conservador na Academia de Futebol ao longo de 2017 – com trabalhos de fortalecimento, estabilização e ajuste de peso – não havia surtido a evolução satisfatória.

Em conjunto com o clube, ele então topou se submeter a uma série de procedimentos de risco maior: um pouco comum e outro até então inédito no Brasil para atletas de alto rendimento.

Jean durante a recuperação no Palmeiras — Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Jean durante a recuperação no Palmeiras — Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

A primeira etapa foi a realização de uma facectomia, a remoção de um pedaço do osso da patela, cuja aplicação é rara no meio do futebol. O passo seguinte foi um tratamento complementar e ainda experimental no país, com a infusão de células-tronco.

– É uma cirurgia muito complicada – disse Jean, na terça-feira, quando deu entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Depois de ter sido relacionado pela primeira vez para uma partida em maio, o volante estreou em 6 de junho, em vitória sobre o Grêmio, ainda sob comando de Roger Machado. Mas foi depois da chegada de Luiz Felipe Scolari que ele voltou a ter mais oportunidades. Tornou-se homem de confiança do novo técnico e já tem 23 jogos no ano.

– Se esse título (brasileiro) vier, vai ser muito especial por tudo o que passei. Foi o ano mais difícil da minha carreira – comentou o polivalente jogador, agora aos 32 anos e sem os receios do início da temporada.

– Estou me sentindo até melhor. Bem melhor do que em muitos momentos antes.