Preso que matou colega em presídio de Sorocaba já cometeu mesmo crime

0
Penitenciária de Sorocaba abriga detentos condenados por crimes sexuais (Foto: Reprodução/Google Street 

Roger Max Soares confessou assassinato de detento em 2015, na penitenciária de Serra Azul. Preso cumpre pena pela participação na morte de voluntária de igreja evangélica.

O preso Roger Max Soares, que confessou ter matado um colega de cela na penitenciária de Sorocaba (SP) na noite de domingo (15), já responde por um caso semelhante, segundo a Polícia Civil. Em 2015, ele matou um preso na Penitenciária II de Serra Azul (SP).

O caso ocorreu três meses após Roger ser preso pela participação na morte de uma voluntária de uma igreja evangélica, em Jardinópolis (SP). Na época, ele contou à polícia que usou dois pedaços de ferros, retirados da parede da cadeia, para matar o companheiro de cela.

No crime registrado neste fim de semana, em Sorocaba, a vítima José Roberto Batista dos Santos foi atingida por golpes de cabo de vassoura nas costas e na cabeça.

Conforme o boletim de ocorrência, Roger alegou que foi provocado pela vítima durante toda a semana e “perdeu a paciência”.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária, foi instaurado um procedimento apuratório preliminar e disciplinar para investigar o caso. A pasta solicitou a transferência de Roger para sanção disciplinar, além de requerer judicialmente a internação dele no Centro de Readaptação Penitenciária, em Presidente Bernardes (SP).

Os outros dois detentos que estavam na mesma cela foram isolados preventivamente na unidade, que está superlotada, com 155% a mais de presos que a capacidade.

Penitenciária de Sorocaba abriga detentos condenados por crimes sexuais (Foto: Reprodução/Google Street View)
Penitenciária de Sorocaba abriga detentos condenados por crimes sexuais (Foto: Reprodução/Google Street