Prefeitura de Bauru deve gastar R$ 1,5 milhão com aplicativo de transparência pública

0
Bauru obteve nota alta por portal de transparência ao público — Foto: Reprodução/TV TEM

G1 Bauru/Marília

No ano em que a lei da transparência vai completar 10 anos em funcionamento, a Prefeitura de Bauru (SP) pretende investir R$ 1,5 milhão na operação de um aplicativo para facilitar o acompanhamento das contas públicas, como gastos com alimentação escolar e se está faltando medicamentos nas farmácias públicas

De acordo com o prefeito Clodoaldo Gazzetta (PV), o projeto ainda está em fase de licitação. “É um aplicativo que a gente está em contratação agora esse ano para que as pessoas possam ter mais acesso ainda as informações da prefeitura”, explica.

A lei da transparência determina que todos os municípios com mais de 50 mil habitantes informem cada passo da prefeitura. Em Bauru, a prefeitura também incorporou ao portal da transparência uma ouvidoria pública.

A partir do canal de comunicação, a população fez uma avaliação sobre a prestação de contas. Bauru obteve nota 8,6, mais alta que a média nacional, que é de 6,5, segundo o ranking nacional de transparência.

Apesar dos avanços, o Conselho Municipal de Transparência e Controle Social afirma que ainda falta eficiência da Prefeitura de Bauru na forma de publicar as informações.

“O sistema ainda está muito defasado, nem todas as informações são disponibilizadas com facilidade. O que precisamos compreender é que a leitura dessas informações precisa ser facilitada de uma forma que uma pessoa comum possa ler o documento e compreender”, acredita o presidente conselho, Marcos Gomyde.

Pela lei da transparência, qualquer morador pode ter acesso aos gastos da prefeitura com o pagamento de funcionários públicos, equipamentos, fornecedores, obras e serviços. No site também tem de constar a receita do município e os investimentos em programas e projetos.

Essas informações podem ser muito úteis na hora de reivindicar melhorias para os bairros. “Essa lei me dá o direito de saber o que que a prefeitura tem a oferecer a nossa população e em cima do que tem a oferecer, nós temos como cobrar, oficiar o prefeito, pedir alguma melhoria para região. Se ela não sendo atendida, me dá a condição de representá-lo junto aos órgãos competentes”, conta o líder comunitário Matias Geraldo Muniz.