PRAZO NÃO É O NÓ

0

Proposta que foi protocolada pelo vereador Jean Dornelas (PRB), ontem, na Câmara, pretende mudar outra vez o Regimento Interno, no que diz respeito às comissões de inquérito. Agora, numa tentativa de acabar com o estica e puxa, o parlamentar entende que o prazo 180 dias úteis é extremamente suficiente para que se apure as mazelas que envolvem a coisa pública. Não é bem assim.

A última mudança aprovada alterou a forma de contagem do prazo, trocando os dias corridos pelos dias úteis. Foi assim, por exemplo, que o vereador Gerson Furquim (PP) deu sobrevida á CPI da Emurb. A nova proposta acaba com a possibilidade de prorrogar as investigações. A Lava Jato dura longos quatros anos e os mesmos políticos que defendem prazo curto para a CPI, também defendem a manutenção da república curitibana.