Policial que matou filho de tenente-coronel com tiro acidental em festa é levado a presídio

0
Diogo Belentani foi atingido no peito e morreu antes de chegar ao pronto-socorro em Araçatuba (Foto: Reprodução/Facebook)

Testemunhas confessaram à polícia de Araçatuba ter mentido sobre versão inicial e revelaram que policial segurava arma no momento do disparo, e não a vítima.

Justiça determina prisão temporária de PM após tiro acidental que matou estudante
Justiça determina prisão temporária de PM após tiro acidental que matou estudante

O policial militar suspeito de envolvimento na morte de um estudante de 21 anos, filho do atual comandante interino do Policiamento do Interior 10 (CPI-10) de Araçatuba (SP), foi levado nesta terça-feira (25) para o presídio militar Romão Gomes, em São Paulo.

A Justiça determinou, na segunda-feira (24), a prisão temporária do suspeito, após testemunhas confessarem ter mentido sobre a versão inicial do crime. Elas revelaram que era o policial quem segurava a arma no momento do disparo e não a vítima.

Além disso, a investigação apontou que houve mudança na cena do crime. A Polícia Militar também abriu processo administrativo para apurar a conduta do PM.

Com as novas informações, Vinícius Oliveira Coradim, que era amigo de infância da vítima, deve responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Entenda o caso

No dia 15 de julho, os dois participavam de churrasco em uma chácara, quando a pistola do policial disparou e atingiu o peito do estudante, que morreu a caminho do hospital.

No dia do crime o policial – que atuava na região de Botucatu – foi preso, mas, liberado depois de pagar fiança de R$ 1,5 mil.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP) lamentou a morte do jovem. O corpo de Diogo Belentani foi cremado no final da tarde do dia 16, em cerimônia restrita aos familiares.