Polícia pede prisão de ex-namorado que deu facada na adolescente e foi liberado pela lei eleitoral

0
Adolescente de 17 anos foi encontrada morta em estrada de Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal

Jackson Silva dos Santos, de 21 anos, atacou a jovem dentro de carro, em Sorocaba. Vítima morreu durante o resgate; ele foi até a delegacia de Votorantim, confessou o crime e foi liberado no dia 28 de outubro.

A Polícia Civil pediu a prisão do rapaz de 21 anos suspeito confesso de matar a ex-namorada, de 17, no dia 27 de outubro, na véspera das eleições, no bairro Caputera, em Sorocaba (SP). A vítima foi esfaqueada durante uma crise de ciúme dele.

O corpo de Geovanna Crislaine Soares da Silva foi encontrado com vários ferimentos próximo a um carro estacionado com as portas abertas. A jovem morava no Bairro dos Morros, em Votorantim, e chegou a ser atendida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu.

O inquérito foi encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sorocaba e relatado ao Fórum. Ainda segundo a polícia, há um mandado de prisão no nome do suspeito confesso. Ele não foi localizado pelo G1.

Confissão

O delegado Gilberto Montenegro estava de plantão em Votorantim na ocasião em que Jackson compareceu, no dia 28 de outubro, à delegacia acompanhado da família, confessou o crime e foi liberado, já que não poderia ficar preso por conta do período eleitoral.

Em depoimento à polícia, Jackson contou que foi buscar Geovanna no trabalho e os dois acabaram discutindo. No entanto, em determinado momento, a vítima jogou o celular para fora do carro por conta de uma crise de ciúme do suspeito e foi esfaqueada.

Segundo o registro, outro homem que passava pela rua pediu para que ele parasse com a agressão. Jackson saiu correndo e soube da morte de Geovanna por conhecidos. Ele afirmou estar arrependido à polícia.

Jackson Silva dos Santos e Geovanna Crislaine Soares da Silva namoraram durante três anos — Foto: Arquivo pessoal
Jackson Silva dos Santos e Geovanna Crislaine Soares da Silva namoraram durante três anos — Foto: Arquivo pessoal

Relacionamento abusivo

Ao G1, uma prima da vítima disse que Geovanna era carinhosa e sofria com o ciúme possessivo do rapaz. De acordo com a prima, a jovem se distanciou da família durante o tempo em que namorou Jackson.

“Ele não deixava ela conviver muito com a gente. Uma criança meiga, sempre carinhosa…é inexplicável.”

O corpo da adolescente foi velado em Votorantim e enterrado no Cemitério São João Batista, no dia 29 de outubro.