Polícia investiga se há outras vítimas de morador de rua que estuprou adolescente

0
Estudante de São Roque diz que foi ameaçada por agressor (Foto: Reprodução/TV TEM)

Rapaz foi preso dormindo perto da delegacia de São Roque (SP) após ser reconhecido pela vítima. Investigação apura se ele participou de outros crimes.

A Polícia Civil procura por outras possíveis vítimas do morador de rua que estuprou uma jovem de 17 anos na semana passada ao voltar da escola, São Roque (SP).

A investigação divulgou a foto de Cleber Simões de Olivera, 33 anos, que permanece preso em uma cadeia da região após ser reconhecido pela estudante. A vítima o viu assim que deixou a delegacia onde foi registrar a ocorrência. O homem estava deitado na rodoviária da cidade, perto da delegacia, um dia depois do crime.

Ainda segundo a polícia, o rapaz estava desempregado e disse em depoimento que morava há dois anos na rua. Até então ele não tinha passagens por crimes.

Rapaz foi preso por estuprar jovem em São Roque (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
Rapaz foi preso por estuprar jovem em São Roque (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

‘Olhos esbugalhados’

A adolescente de 17 anos procurou a polícia e registrou o ataque na terça-feira (12). No dia anterior, ela foi surpreendida ao descer do ônibus e ser arrastada para um matagal.

No primeiro momento, a jovem conta que achou que seria um assalto até que o agressor sacou uma faca e a arrastou para um matagal, onde o crime foi consumado. “Ele falou assim: ‘Se não fizer o que eu pedir, vou te esfaquear’. Eu fiquei com medo”, diz.

De acordo com a vítima, ela foi agredida com puxões de cabelo e teve a boca tampada antes mesmo de conseguir pedir ajuda. “Ele começou a puxar o meu cabelo para trás e chegou a abusar de mim. Ninguém escutava”, lembra a jovem antes de conseguir se esquivar, morder o braço dele e fugir. Apenas no dia seguinte o ataque foi registrado.

“A polícia acordou ele e eu falei: ‘Se for um homem com olhos esbugalhados e sem dentes, é ele’.”

O homem foi encaminhado à delegacia, onde a jovem o reconheceu através de um vidro. Uma mochila carregada por ele também foi revistada e nela estavam as roupas descritas pela jovem no dia do crime: uma blusa de moletom e uma bermuda suja de sangue.

A vítima passou por atendimento na Santa Casa de Sorocaba (SP). No atendimento médico, foram realizados o exame de corpo de delito e a aplicação de medicamentos para evitar prováveis doenças sexualmente transmissíveis.