Polícia acha sangue no carro do acusado de enforcar e matar jovem com alça da bolsa dela em Jaú

0
Imagens do circuito de segurança ajudaram Polícia Civil a apontar homem de 33 anos como principal suséito do crime — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Homem de 33 anos é considerado o principal suspeito pelo assassinato Bruna Vines Ribeiro, 22 anos. Ele, que tem passagem por tráfico de drogas, admite que esteve com a vítima no motel, mas nega o crime.

O homem de 33 anos que foi preso como principal suspeito do assassinato da jovem Bruna Vides Ribeiro, de 22 anos, em Jaú (SP), negou o crime, mas admitiu que esteve com a vítima em um motel no dia em que ela foi morta.

A convicção da Polícia Civil sobre a autoria do crime foi reforçada após uma informação passada pela perícia de que foi encontrado sangue da vítima no carro do suspeito e em um cobertor que estava no veículo.

De acordo com a polícia, o suspeito é dependente químico, toma remédios controlados e usa drogas. Ele já tinha passagens pela polícia por tráfico de drogas.

O suspeito foi preso na casa dele, no Jardim América, em Jaú, na quarta-feira (12), mas a polícia apresentou o caso somente nesta segunda (17).

O crime aconteceu no dia 4 de dezembro e, segundo o laudo do Instituto Médico Legal (IML), Bruna foi morta por enforcamento. A polícia também investiga-se ela também sofreu violência sexual.

“Primeiro ele negou que esteve com a vítima, depois confessou ter estado com ela e usado bastante droga no motel, e por fim disse que ficou desesperado, que viu o corpo, mas não jogou o corpo nu. A gente o considera o principal suspeito e muito provavelmente o autor do crime”, disse o delegado Marcelo Góes.

Imagens de circuito de segurança da região onde o corpo da jovem foi encontrado, no Jardim Padre Augusto Sani, ajudaram a polícia a identificar o suspeito. Um trecho das gravações mostra a vítima entrando em um carro, às 14h30.

Bruna Vines Ribeiro (no detalhe) foiencontrado em uma rua do Jardim Padre Augusto Sani, em Jaú — Foto: TV TEM/Reprodução
Bruna Vines Ribeiro (no detalhe) foiencontrado em uma rua do Jardim Padre Augusto Sani, em Jaú — Foto: TV TEM/Reprodução

Outras câmeras também flagraram o mesmo carro passando pela região às 16h30 já em alta velocidade. O corpo de Bruna foi encontrado logo depois. Ela estava seminua, com as mãos amarradas com uma calcinha e a alça da própria bolsa enrolada no pescoço.

O carro foi identificado pela polícia e pertence ao suspeito. Segundo a polícia, testemunhas reconheceram o carro e confirmaram que a vítima foi vista pela última vez entrando no veículo.

Para o delegado Marcelo Góes, crime pode evoluir para latrocínio se investigação descobrir que suspeito levou pertences da vítima — Foto: TV TEM/Reprodução
Para o delegado Marcelo Góes, crime pode evoluir para latrocínio se investigação descobrir que suspeito levou pertences da vítima — Foto: TV TEM/Reprodução

Bruna era de Bandeirantes (PR) e estava morando há duas semanas em Jaú com uma irmã mais velha. Um dos irmãos da vítima disse em entrevista ao G1 que ela se mudou após se separar do marido e levou as duas filhas com ela. Segundo as investigações, Bruna trabalhava como garota de programa na cidade.

O suspeito está preso temporariamente até o fim das investigações e vai responder por homicídio qualificado por motivo fútil.

A polícia ainda aguarda resultados de exames que devem confirmar se houve abuso sexual e se o suspeito teria levado algum pertence da jovem, o que faria o crime evoluir para latrocínio.