Parceria entre governo e empresa investe mais de R$ 1 milhão em pontos de apoio

0
Pontos de apoio nem sempre são respeitados pela população

Além disso, os pontos de apoio foram ampliados e passaram de 800 para 1000 m² de material descartado

O prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), anunciou na tarde desta quinta-feira, dia 5, a construção de três novos pontos de apoio e a reforma total de outros três pontos já existentes.O investimento parte de uma parceria com empresa privada.

O investimento total no valor de R$ 1,1 mi será feito pela empresa Atacadão S.A.. A execução da obra está a cargo da empresa Pietra UNO Engenharia LTDA. A previsão é de que os pontos fiquem prontos em quatro meses.

“Este é um momento muito especial para Rio Preto. Os pontos de apoio são importantes para a organização da cidade, para o meio ambiente, para a saúde e também para evitar incêndios”, afirmou o prefeito.

Os novos pontos foram remodelados e agora os materiais depositados no local não ficarão mais no chão e sim em Roll-ons (espécie de caçamba) com capacidade para até 30 metros cúbicos.

“Em 2001 na primeira gestão do prefeito Edinho fomos a segunda cidade do país a adotar o modelo de ponto de apoio. O modelo funcionou muito bem porque a manutenção era feita constantemente, após um período sem manutenção alguns pontos de apoio se deterioraram e ficaram praticamente obsoletos. A coisa pública precisa de manutenção constante, como fazemos na nossa casa, no nosso carro e assim por diante”, afirmou o secretário de Planejamento, Israel Cestari.

A secretária de Meio Ambiente, Kátia Penteado, destacou a importância dos pontos de apoio para o meio ambiente. “O lixo descartado em local irregular causa diversos danos ao meio ambiente. É preciso que a Prefeitura faça a sua parte e que a população também colabore”, disse.

O Secretário de Serviços Gerais, Ulisses Ramalho, afirmou que o serviço de limpeza dos locais irregulares onde o material é descartado é paliativo. “Agora sim vamos ter uma solução mais adequada para evitar que os locais fiquem sujos ou que sejam incendiados. Também vamos tentar ampliar o horário de funcionamento dos pontos para que as pessoas não joguem o material na porta do ponto quando o mesmo não está aberto”, disse Ulisses.