Pacientes de Marília aguardam por cirurgia há anos em hospitais públicos

0

Autônomo que sofreu acidente de moto há seis anos já teve sua operação adiada por seis vezes desde agosto. Dona de casa está há três anos na fila para cirurgia de catarata.

Pacientes de Marília (SP) que precisam de cirurgias feitas através do SUS (Sistema Único de Saúde) reclamam da longa espera pela marcação de procedimentos que precisariam ser feitos no Hospital das Clínicas e na Santa Casa. Eles temem não conseguir fazer o tratamento necessário a tempo resolver seus problemas.

Um desses pacientes é o autônomo Alessandro Ramos, que ainda se recupera de um acidente de moto sofrido há seis anos. Na época, ele foi atendido no Hospital das Clínicas, fez várias cirurgias, mas há um ano começou a sentir dores fortes na perna.

Pacientes de Marília aguardam por cirurgia há mais de um ano
Pacientes de Marília aguardam por cirurgia há mais de um ano

O autônomo conta que precisou esperar um ano para conseguir uma consulta com um ortopedista pelo Sistema Único de Saúde. O médico reconheceu a necessidade de uma nova cirurgia e o encaminhou ele para o procedimento, que já foi desmarcado seis vezes desde agosto.

“Já cheguei a me preparar para a cirurgia, fazer o jejum, mas no dia eles falam que sempre chega uma cirurgia de emergência e cancelam a minha”, relata o autônomo.

Alessandro Ramos e Luzia de Abreu são pacientes que esperam por cirurgias em Marília há anos (Foto: Reprodução / TV TEM)
Alessandro Ramos e Luzia de Abreu são pacientes que esperam por cirurgias em Marília há anos (Foto: Reprodução / TV TEM)

Caso semelhante acontece com a dona de casa Luzia de Abreu, que está na fila por uma cirurgia de catarata há três anos. Ela já havia feito procedimento semelhante em um dos olhos, há três anos, mas reclama que a operação no outro olho, marcada para 15 dias depois, é sempre desmarcada pela Santa Casa.

Outro lado

À reportagem da TV TEM, a assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas explicou que a prioridade é sempre para as emergências, que não é o caso de Alessandro Ramos. Já a Santa Casa de Marília informou que vai analisar o caso da dona de casa.

A Secretaria de Saúde de Marília informou que desenvolve na cidade um “mutirão da catarata” que já realizou 479 cirurgias apenas neste ano e que poderá atender em breve a dona de casa Luzia de Abreu.