Os Bastidores

0
foto: Divulgação

CONSOLIDA VOTOS
Os candidatos a deputado estadual e federal por Rio Preto, a maioria, manifesta ânimo na corrida. O ex-prefeito Valdomiro Lopes (PSB) corre a região, deixando Rio Preto para as últimas semanas. A explicação é simples:
Rio Preto já estaria consolidada a sua votação. Pesquisa Inteligence/Bom Dia, publicada na quarta (12) aponta Lopes com 10%.

BOLÇONE NA FRENTE
Na corrida para estadual, o primeiro colocado é o deputado estadual Orlando Bolçone (PSB) que aparece na pesquisa com 11%. O segundo colocado é João Paulo Rillo (Psol) que tem 9%. A corrida está praticamente na fase
final, pois neste ano a eleição deu tempo curto aos candidatos.

DADO NA CRUZ
O movimento LGBT de Votuporanga coloca o prefeito João Dado (SD) na cruz. Ele suspendeu a mostra fotográfica “Frida”, prevista para acontecer junto com o Festival Literário. Ao saber do conteúdo que queria exposto, dado, pressionado por grupos religiosos e vereadores, não teve duvida e mandou parar tudo. A mostra foi suspensa com a promessa de ser exibe em outra oportunidade. Nunca.

AUMENTA PENA
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve nessa quarta-feira (12) a condenação do ex-diretor de Serviços e Engenharia da Petrobras, Renato Duque, pelo crime de corrupção passiva. No julgamento do recurso de
apelação criminal, a 8ª Turma do tribunal ainda aumentou a pena de dez anos para 28 anos, cinco meses e dez dias de reclusão.

QUERIA ANULAR
Duque foi condenado em agosto do ano passado pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. A sentença foi proferida em processo da Operação Lava Jato que investigou a formação de um cartel pela construtora Andrade
Gutierrez e outras empreiteiras para garantir contratos com a Petrobras. A defesa de Duque tentava anular a decisão de Moro no processo. Procurada pela reportagem, a defesa de Renato Duque ainda não se manifestou sobre
a decisão do TRF4.

TOMOU POSSE
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli tomou posse nesta quinta (13) no cargo de presidente da Corte. A cerimônia de posse será às 17h, no plenário do Supremo. O ministro ficará no cargo pelos próximos dois
anos. Ele irá suceder Cármen Lúcia.Toffoli tem 50 anos e foi nomeado para o STF, em 2009, pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Antes de chegar ao Supremo, o ministro foi advogado-geral da União e advogado de campanhas eleitorais do PT.