ONG descobre 381 novas espécies de plantas e animais na Amazônia

0
Macaco zogue-zogue-rabo-de-fogo foi descoberto em dezembro de 2010, no noroeste do Mato Grosso (Foto: WWF/Divulgação)

Foram catalogadas: 216 novas espécies de plantas; 93 de peixes; 32 de anfíbios; 19 de répteis; uma ave; 18 mamíferos; e dois mamíferos fósseis.

Relatório do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) divulgado nesta quarta-feira (30) em São Paulo apresenta a descoberta de 381 novas espécies de plantas e de animais vertebrados da floresta Amazônica. Os dados foram coletados entre os anos de 2014 e 2015.

Foram catalogadas: 216 novas espécies de plantas; 93 de peixes; 32 de anfíbios; 19 de répteis; uma ave; 18 mamíferos; e dois mamíferos fósseis. Os números indicam que por volta de uma nova espécie de ser vivo foi descoberta na Amazônia a cada dois dias.

Como metodologia, a WWF fez uma revisão de bibliografia científica para inclusão apenas das novas espécies de vertebrados e plantas descritas em periódicos científicos e submetidas à revisão dos pares.

Segundo a ONG, apesar do relatório indicar um crescimento na taxa de descoberta de novas espécies, não dá para dizer que os problemas ambientais na região estão resolvidos.

Pássaro Poiaeiro-de-Chico Mendes foi registrado pela primeira vez em 2009, no sul do Amazonas (Foto: WWF/Divulgação)
Pássaro Poiaeiro-de-Chico Mendes foi registrado pela primeira vez em 2009, no sul do Amazonas (Foto: WWF/Divulgação)

As descobertas reforçam a importância da preservação da biodiversidade local. A floresta já representa a maior biodiversidade em uma floresta tropical do planeta.

Veja algumas das espécies encontradas:

Macaco zogue-zogue-rabo-de-fogo– descoberto em dezembro de 2010, no noroeste do Mato Grosso

Pássaro Poiaeiro-de-Chico Mendes– registrado pela primeira vez em 2009, no sul do Amazonas

lanta Guatteria amapaenses – descoberta no Amapá na rodovia ‘Perimetral Norte’. Sem coordenadas.

Planta Heteropsis reticulata – descoberta no Acre, no município de Cruzeiro do Sul.