Na decisão do 3º lugar, Bélgica vence a Inglaterra e garante sua melhor colocação na história

0
Courtois celebra com companheiros da Bélgica o terceiro lugar na Copa do Mundo (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Com gols de Meunier e Hazard, poderosa geração belga supera quarto lugar de 1986; com time misto, ingleses, campeões em 1966, repetem posição de 1990; Kane termina Copa com seis gols, dois a mais do que Lukaku, que saiu irritado

RESUMÃO

  • DESTAQUE
  • É BRONZE

    poderosa geração da Bélgica se despediu da Copa do Mundo deixando mais uma boa impressão, neste sábado, em São Petersburgo, na decisão do terceiro lugar. Com a vitória por 2 a 0 sobre a Inglaterra, a Bélgica conseguiu seu melhor resultado na história das Copas, superando o quarto lugar de 1986. Meunier, no primeiro tempo, e Eden Hazard, no segundo, fizeram os gols do jogo. Com o quarto lugar, a Inglaterra iguala campanha de 1990, melhor resultado desde o título de 1966, em casa.

  • DESTAQUE
  • ARTILHARIA

    Harry Kane se despede da Copa do Mundo com seis gols, dois a mais do que o belga Romelu Lukaku, que saiu irritado ao ser substituído no início do segundo tempo. O centroavante do Tottenham levará a Chuteira de Ouropara a Inglaterra – a não ser, claro, que um francês ou um croata assombre o mundo neste domingo com uma atuação de gala na final. Na França, Griezmann e Mbappé são os artilheiros com três gols. Na Croácia, Perisic, Mandzukic e Modric têm dois. Desde 1978, só uma vez o artilheiro da Copa teve mais do que seis gols – foi em 2002, com Ronaldo Fenômeno (fez oito e foi campeão).

    Harry Kane lamenta gol perdido em Bélgica x Inglaterra. Ele se despede da Copa com seis gols
    Harry Kane lamenta gol perdido em Bélgica x Inglaterra. Ele se despede da Copa com seis gols (Foto: REUTERS/Sergio Perez)
  • DESTAQUE
  • CRAQUE DO JOGO. E DA COPA?

    Informação dos nossos colegas do OptaJoe: Eden Hazard esteve envolvido diretamente em sete gols na Copa (três gols e quatro assistências – incluindo aqui a do gol contra de Fernandinho), mais do que qualquer jogador da Bélgica desde 1966 (Jan Ceulemans, também com sete).

    Para surpresa de ninguém, Hazard foi eleito o melhor em campo. Pela terceira vez em seis jogos (ele não enfrentou a Inglaterra na primeira fase, poupado).

  • DESTAQUE
  • DIFERENÇA NAS CAMPANHAS

    A Bélgica se despede com seis vitórias e uma derrota (para a França, na semifinal). A Inglaterra volta pra casa com três vitórias, um empate (com vitória nos pênaltis, sobre a Colômbia) e três derrotas (duas delas para a própria Bélgica).

    • DESTAQUE
    • ATUAÇÕES
      Dier encobre Courtois, mas Alderweireld salva em cima da linha
      Dier encobre Courtois, mas Alderweireld salva em cima da linha (Foto: Getty Images)
    • DESTAQUE
    • MUDANÇAS NOS TIMES

      A Bélgica teve apenas duas mudanças em relação ao time que jogou a semifinal contra a França: entraram Meunier (que estava suspenso) e Tielemans, saíram Dembelé e Fellaini (e depois Chadli, ainda no primeiro tempo, se lesionou, dando lugar a Vermaelen). A Inglaterra mexeu bem mais: saíram Young, Walker, Henderson, Dele Alli e Lingard, entraram Rose, Jones, Dier, Delph e Loftus-Cheek, resultando em sua formação mais jovem na história das Copas, com média de idade de 25 anos e 174 dias.

      Southgate orienta jogadores em Bélgica x Inglaterra
      Southgate orienta jogadores em Bélgica x Inglaterra (Foto: Dan Mullan/Getty Images)
    • DESTAQUE
    • COMO FOI O PRIMEIRO TEMPO

      Meunier apareceu feito centroavante, logo aos 3 minutos, e aproveitou jogada que envolveu extremos como o goleiro Courtois e o centroavante Lukaku. No cruzamento de Chadli, completou de canela para o gol. Tão cedo, a partida já deixava em vantagem a equipe que parecia mais interessada na conquista do terceiro lugar. Mesmo sem grande brilho de seus craques, Hazard e De Bruyne, os belgas rondaram a área inglesa com mais perigo – Alderweireld quase ampliou ao pegar sobra. A Inglaterra até conseguiu alguns espaços (uma rotina para a defesa da Bélgica), e Kane teve chance de empatar, mas chutou mal.

      Meunier se antecipa a Rose e abre o placar para a Bélgica
      Meunier se antecipa a Rose e abre o placar para a Bélgica (Foto: Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images)
    • DESTAQUE
    • COMO FOI O SEGUNDO TEMPO

      No intervalo, Gareth Southgate tirou Sterling, o pior em campo, para colocar Rashford (e também Lingard no lugar de Danny Rose). A Inglaterra melhorou e passou a ficar mais perto do empate do que a Bélgica do segundo gol, principalmente em lances de bola parada. A chance mais clara, porém, foi com Dier saindo livre na cara de Courtois e tocando por cima – Alderweireld salvou em cima da linha, aos 24. E quando a Inglaterra estava melhor, a Bélgica matou o jogo no contra-ataque, aos 36, com Eden Hazard fazendo o segundo gol.

      Trenzinho inglês em cobranças de escanteio
      Trenzinho inglês em cobranças de escanteio (Foto: Getty Images)
    • Courtois celebra com companheiros da Bélgica o terceiro lugar na Copa do Mundo
      Courtois celebra com companheiros da Bélgica o terceiro lugar na Copa do Mundo (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)
    • DESTAQUE
    • BÉLGICA IGUALA RECORDE

      Meunier foi o décimo jogador diferente a marcar pela Bélgica nesta Copa, igualando marca que só a França de 1982 e a Itália de 2006 conseguiram. Antes, marcaram Lukaku, Mertens, Hazard, Batshuayi, Januzaj, Vertonghen, Fellaini, Chadli e De Bruyne.

      Meunier comemora gol em Bélgica x Inglaterra
      Meunier comemora gol em Bélgica x Inglaterra (Foto: REUTERS/Dylan Martinez)
    • DESTAQUE
    • MAIS DO QUE AMIGOS, FRIENDS

      O jogo pareceu um amistoso em vários momentos, com os dois times sem demonstrar muita motivação. Vale lembrar que 12 dos 23 belgas atuam no Campeonato Inglês. Antes do jogo, foi possível ver os jogadores das duas seleções confraternizando em rodinhas de clubes – teve a “panelinha” do Tottenham, do Manchester City e do Manchester United.

      A "panelinha" do Manchester City, com jogadores de Inglaterra e Bélgica: Stones, Kompany, Young, Sterling e Kevin De Bruyne
      A “panelinha” do Manchester City, com jogadores de Inglaterra e Bélgica: Stones, Kompany, Young, Sterling e Kevin De Bruyne (Foto: Dan Mullan/Getty Images)
    • DESTAQUE
    • FIQUE LIGADO

      A final será disputada neste domingo entre França e Croácia, às 12h de Brasília, em Moscou. A partida terá transmissão ao vivo da TV Globo, do SporTV e do GloboEsporte.com.