Mulheres são flagradas com maconha tentando entrar em presídio em Riolândia

0
Mulher tentou entrar no presídio com porção de maconha nas partes íntimas (Foto: Divulgação/SAP)

Duas suspeitas esconderam a droga nas partes íntimas. Mulheres foram excluídas do rol de visitas da penitenciária.

Duas mulheres foram presas neste fim de semana após tentarem entrar com drogas dentro do presídio de Riolândia (SP). Os casos aconteceram no domingo (2) e elas foram flagradas durante a revista para a visita.

No primeiro caso, uma mulher de 32 anos foi presa ao tentar entrar com porções de maconha. De acordo com a polícia, a suspeita passou pelo detector de metais, e o equipamento apitou. Os agentes então perguntaram se ela estava com algo ilícito, e a mulher confessou que havia uma porção de maconha escondida nas partes íntimas.

Após retirar, ela foi submetida de novo ao detector, e o aparelho apitou novamente. Ao ser perguntada mais uma vez se estava com algo ilícito, a mulher negou. Entretanto, ela foi levada para o pronto-socorro da cidade, e lá confessou que tinha outra porção de maconha escondida na vagina.

Ao todo, foram retirados do corpo da mulher 374 gramas de maconha. Ela disse a polícia que iria entregar a droga para seu namorado, que está cumprindo pena por tráfico de drogas na cadeia de Riolândia. Ela foi levada para o plantão policial de Votuporanga (SP), e depois encaminhada para cadeia de Nhandeara (SP).

No outro caso, uma jovem também foi presa por tentar entrar com maconha na cadeia. A Secretaria da Administração Penitenciária informou que uma visitante foi flagrada tentando entrar no CDP com um invólucro com “erva verde aparentando maconha”.

Durante a revista, a visitante demonstrou nervosismo e tensão. Ao ser indagada sobre o motivo, confessou estar portando nas partes íntimas substância ilícita, declarada por ela como maconha. A mulher informou que o entorpecente seria entregue ao seu companheiro, que cumpre pena no local. Segundo a SAP, visitas flagradas tentando adentrar com objetos ilícitos em unidades prisionais são automaticamente excluídas do rol de visita.