Morre mãe baleada ao pular na frente de arma para proteger o filho

0
Casa onde vítima, o marido e cinco filhos moravam em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/ G1)

Vítima foi baleada na cabeça e morreu durante a cirurgia em Porto Velho
Adolescente disse que filho da vítima teria roubado sua bicicleta.

Toalha foi usado para estancar sangramento da vítima em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/G1)
Toalha usada para estancar sangramento da vítima em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/G1)

A mãe de 37 anos que foi baleada na cabeça ao pular na frente de uma arma para proteger o próprio filho, na quinta-feira (15), morreu durante uma cirurgia no hospital João Paulo II nesta sexta (16), em Porto Velho. Conforme boletim de ocorrência, o suspeito de 17 anos queria matar o filho da mulher, também de 17 anos, por acreditar que ele tivesse roubado sua bicicleta. Ao ver a arma apontada para o filho, a mulher entrou na frente e acabou atingida por dois disparos.

O suspeito de ter efetuado os disparos, de 17 anos, foi apreendido e confessou querer matar o outro jovem por conta de um suposto roubo, mas a mãe entrou na frente da arma. Depois do crime, os policiais foram ao local encontraram a vítima no chão sangrando, com um lençol em volta da cabeça.

Vizinhos que preferem não se identificar contaram ao G1 sobre o momento do crime. “Ouvimos três disparos e em seguida várias pessoas se aglomeraram em volta da casa. Ela saiu daqui inconsciente já”, afirma.

Depois de ser baleada, a mulher foi levada ao Hospital João Paulo II, mas durante a cirurgia acabou não resistindo aos ferimentos.

Conforme familiares, a mulher era casada há 19 anos e tinha cinco filhos. O velório será realizado na casa da mãe da vítima, no Bairro Ayrton Sena, em Porto Velho. O enterro será no cemitério Santo Antônio, no sábado (17).

A família não informou o paradeiro do filho da mulher que iria ser morto pelo suspeito. Conforme a PM, a arma usada no crime teria sido jogada em um terreno baldio e não foi encontrada até a noite de quinta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA