Medição no rio Preto encontra fezes após moradores reclamarem de água escura

0
Especialista mediu poluição do rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)

TV TEM recebeu reclamações de moradores e levou especialista ao rio, em Rio Preto. Apesar da irregularidade, índice de oxigênio é considerado bom. Semae diz ser impossível fezes terem saído de Estação de Tratamento de Esgoto.

Após receber reclamações de moradores por causa da água escura e cheiro forte no rio Preto, em São José do Rio Preto (SP), a equipe de reportagem da TV TEM foi até o local acompanhada de um especialista para apurar a qualidade da água. Durante medição, fezes foram encontradas no rio.

O especialista também constatou que, apesar da irregularidade do rio, o índice de oxigênio está em um nível considerado bom.

“O índice de oxigênio dissolvido neste ponto está determinando o valor de 3 miligramas por litro. Dentro da classificação deste corpo da água está com boas condições. Mas caso as fezes sejam oriundas da estação de tratamento de esgoto, o tratamento não está sendo eficiente”, explica Mário Cosso, especialista em tecnologia ambiental.

O Semae, Serviço Autônomo de Água e Esgoto, informou que é impossível as fezes terem originado da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), visto que as tubulações despejam apenas líquidos.

Por causa da falha no tratamento do esgoto há dois meses, o SEMAE foi multado pela Cetesb em R$ 100 mil, mas está recorrendo na Justiça. Atualmente a estação opera acima da limite de capacidade, que é de tratar esgoto de 400 mil moradores. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a cidade abrange 450 mil pessoas.