Mãe de menina morta por ex-namorado desabafa após apreender o assassino: ‘A batalha não acabou’

0
Adolescente de 17 anos foi encontrada morta em estrada de Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal

Cristina Aparecida Soares Barbosa lembra que o ex-namorado da filha se apresentou na Delegacia Seccional e foi preso.

A mãe da jovem de 17 anos morta a facadas pelo ex-namorado divulgou um vídeo de agradecimento pelo apoio de amigos e familiares após a prisão do jovem, que confessou o crime. Geovanna Crislaine Soares da Silva foi encontrada morta no dia 27 de outubro, em uma estrada rural de Sorocaba (SP).

No vídeo, Cristina Aparecida Soares Barbosa lembra que o ex-namorado da filha, Jackson Silva dos Santos, de 21 anos, se apresentou na Delegacia Seccional na segunda-feira (10) e foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pilar do Sul (SP).

“A batalha ainda não acabou. Ele se entregou e está preso, mas aí para frente tem o julgamento. A gente tem que correr atrás para que ele pegue o máximo de pena que puder, porque foi um crime brutal”, desabafa a mãe.

Cristina também agradece às mensagens de apoio na luta pela prisão de Jackson. Ela fez vídeos e manifestações pedindo a prisão do assassino da filha, que confessou ter matado a jovem no dia seguinte ao crime, mas foi liberado pela lei eleitoral.

“A gente conseguiu e ele está preso. Se a gente não correr e gritar, infelizmente a nossa Justiça ainda é muito lenta”, lamenta.

A mãe de Geovanna também encoraja outras famílias que tiveram parentes mortos a buscarem por justiça. “Não deixem nunca de lutar por justiça. Se preciso, gritem todas as mães que perderam seus filhos em morte brutal como foi a da minha filha.”

O crime

No dia seguinte, 28 de outubro, Jackson se apresentou na delegacia de Votorantim (SP) acompanhado da família e confessou o crime. Em seguida, foi liberado por conta da lei eleitoral que proíbe prisões que não sejam em flagrante nos cinco dias anteriores às eleições ou 48 horas após o encerramento da votação.

O boletim de ocorrência foi registrado pela delegacia de Votorantim e o inquérito encaminhado à DDM de Sorocaba, que pediu a prisão de Jackson. O caso foi relatado ao Fórum no fim de novembro e a prisão preventiva do rapaz foi decretada pela Justiça no dia 7 de dezembro.

Feminicídio

Jackson Silva dos Santos e Geovanna Crislaine Soares da Silva — Foto: Arquivo pessoal
Jackson Silva dos Santos e Geovanna Crislaine Soares da Silva — Foto: Arquivo pessoal

Em depoimento à polícia no dia 28 de outubro, Jackson contou que foi buscar Geovanna no trabalho e os dois discutiram. Por conta da crise de ciúme do ex-namorado, a vítima jogou o celular para fora do carro e acabou sendo esfaqueada.

Segundo o jovem, um homem que passava pela rua pediu para que ele parasse com a agressão. Jackson então saiu correndo e só soube da morte de Geovanna por conhecidos. Durante o depoimento, ele chegou a dizer aos policiais que estava arrependido.

Antes da confissão, o irmão de Jackson declarou à polícia que recebeu uma ligação dele dizendo que precisaria “ficar escondido por um tempo”, sem informar o motivo.

Na época do crime, a prima de Geovanna, Jéssica Bezerra da Silva, contou ao G1 que a jovem se distanciou da família durante os três anos em que namorou Jackson por conta do ciúme possessivo dele. O relacionamento havia terminado há dois meses quando a adolescente foi esfaqueada.