Lloris enche a bola da Croácia antes da final e afasta novo salto alto da França

0
Lloris em entrevista coletiva antes da final (Foto: Shaun Botterill / GETTY IMAGES EUROPE)

Goleiro tenta exorcizar fantasma da Euro de dois anos atrás e envia mensagem à torcida e aos companheiros com discurso de respeito aos adversários pelo título da Copa do Mundo

Ao longo da última semana, jogadores da França, especialmente Paul Pogba, admitiram que a equipe entrou em campo na final da Eurocopa, há dois anos, certa que o título viria. A derrota por 1 a 0, em casa, deixou sequelas. O grupo atual se preocupa profundamente em não repetir o salto alto. Por isso, o capitão Lloris fez questão de descartar qualquer favoritismo e rasgou repetidos elogios à Croácia na véspera da final da Copa do Mundo, que será disputada neste domingo.

– Jogaremos contra um adversário de muita qualidade, que demonstrou qualidades físicas e mentais incríveis. Eles mostraram valores ao longo do torneio, passaram três vezes seguidas por prorrogações. Então há algo de muito especial nessa equipe. Além do talento individual, eles têm uma força coletiva incrível. Temos muito respeito por eles – afirmou o goleiro, que também teve de responder, obviamente, sobre a derrota de 2016.

– A maioria desses jogadores que estão aqui não estava presente na Euro, mas para os que estavam, claro, foi difícil digerir. Há dois anos, eu não sabia se teríamos outra oportunidade, mas estamos na final da Copa do Mundo e uma série de coisas mudam. Principalmente na preparação antes do jogo – disse Lloris, um dos nove remanescentes do vice-campeonato europeu.

Lloris em entrevista coletiva antes da final (Foto: Shaun Botterill / GETTY IMAGES EUROPE)
Lloris em entrevista coletiva antes da final (Foto: Shaun Botterill / GETTY IMAGES EUROPE)

Nos seis jogos em que disputou na Rússia, a equipe francesa só levou gols em dois: um da Austrália, na estreia, e três da Argentina, na histórica vitória por 4×3, nas oitavas de final.

Lloris comemora a solidez defensiva e atribuiu os méritos a Didier Deschamps.

– Acho que é responsabilidade do técnico, ele merece os créditos desde o início. Seus planos de jogo foram se adaptando sem a necessidade de mudar jogadores. Nós tentamos achar soluções juntos e o talento dos jogadores em campo se expressou naturalmente. Eles são abnegados e o futebol de hoje, em alto nível, exige isso – enalteceu.

Nessa Copa do Mundo, a França venceu todos os seus jogos eliminatórios em 90 minutos, sem precisar dos pênaltis. A Croácia, por sua vez, eliminou Dinamarca e Rússia dessa forma.

Lloris elogiou o goleiro adversário Subasic, mas disse que haverá muita luta antes de o título precisar ser decidido nos pênaltis.

– Teremos de estar concentrados nos 90 minutos, em 120 minutos, e se for para os pênaltis, sabemos que o Subasic já foi protagonista nesta Copa. Temos que estudar os oponentes, mas antes disso haverá uma luta, teremos que dar muita energia. A força mental é extremamente importante nessa fase do torneio. Teremos de lembrar todo o trabalho que tivemos. É hora de nos impôr e começar a partida com muito compromisso, desde o primeiro minuto.

França e Croácia disputarão o título da Copa do Mundo neste domingo, no estádio Lujniki, em Moscou. A bola rola às 12h (de Brasília).