Leandro Mazzini

0
leandreo mazzini - jornal bom dia

Distância, por ora

Partiu da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba a ordem do ex-presidente Lula da Silva, detento condenado por corrupção, para que o presidenciável Fernando Haddad (PT) e coordenadores da campanha mantenham, por ora, distância de partidos do chamado Centrão. O próprio Haddad e parlamentares do PT iniciaram conversas para selar o apoio do PP, PR, PSD e PRB num eventual 2º turno. Lula, mentor da campanha da Haddad, avaliou que a aproximação com as legendas que apoiam Geraldo Alckmin (PSDB) pode servir de munição para disparos de Jair Bolsonaro (PSL).

É uma ordem

A ordem do Lula foi prontamente acatada a ponto de parlamentares do Centrão reclamarem que os canais de diálogo com o PT estão “travados”.

O articulador

A liderança puxa apoio. Mas deve-se à articulação solitária do federal Onyx Lorenzoni (DEM) a entrada de 261 deputados de vários partidos na campanha de Bolsonaro.

Com o fígado

Alvo de novas ações no CNJ, diante do fim do sigilo da delação de Palocci nas vésperas da eleição, o juiz Sérgio Moro não está garantido na Lava Jato em 2019.

Arsenal..

Coordenadores da campanha do presidenciável Bolsonaro (PSL) fazem uma pesquisa minuciosa do histórico de erros do PT para atacar o provável adversário no 2º turno Fernando Haddad (PT). Com o tempo de TV bastante ampliado, os bolsonaristas vão associar a imagem do ex-prefeito de São Paulo aos principais líderes petistas envolvidos em esquemas de corrupção – Mensalão, Petrolão e impeachment.

..do bunker

O staff de Bolsonaro também pretende explorar as irregularidades em programas implantados durante as gestões de Lula e Dilma, como as fraudes no Bolsa Família, na Lei Rouanet e desvios na reforma agrária.

Uruguai seguro

A segurança pública no Brasil está uma beleza…Em meio ao corte de 23% no orçamento da Defesa, o Governo Temer decidiu doar 25 viaturas blindadas e carros de combate do Exército ao Uruguai. Os gastos com o transporte das viaturas até o Regimento de Cavalaria 3 em Rivera, no Uruguai, custarão mais de R$ 350 mil.

Da caserna

A operação foi autorizada pela Lei 13.720, para “Estreitar os laços de cooperação militar entre Brasil e Uruguai”, justifica a Defesa. Em julho, o ministro da Defesa, General Joaquim Silva e Luna, se dizia preocupado com a possibilidade de as Forças Armadas terem que interromper projetos prioritários por falta de recursos.

Contrabando, não!

Especialistas latino-americanos estão reunidos no Chile no evento Comércio ilegal e contrabando: uma ameaça global, organizado pelo Observatório De Comércio Ilícito Chileno. Dados apresentados pela Euromonitor Internacional dão conta de que esses delitos movimentam mais de US$ 700 bilhões anualmente.

Legalidade no Cone

A discussão é importante para o Brasil, maior mercado de contrabando do Cone Sul. Em agosto foi realizada em Brasília a reunião da Aliança Latino-americana Anticontrabando, com a presença (animadora) de representante do Paraguai no evento. O país é o maior polo de distribuição de mercadorias ilegais da região.