Justiça vai marcar júri popular de casal acusado de matar gerente

0
Mulher confessou o crime (Foto: Reprodução/TV TEM)

Crime aconteceu no ano passado, em Birigui.
Casal está preso e aguarda julgamento.

A Justiça deve marcar para os próximos dias o júri popular do casal acusado de matar o gerente de uma fábrica de calçados de Birigui (SP) no ano passado. O crime aconteceu em junho de 2016.

O gerente da fábrica de calçados foi morto dentro da própria casa. Na época do crime, a mulher disse à polícia que tinha ido ao banheiro e, ao retornar, encontrou o marido morto com um tiro na cabeça. Desde o início, os policias já suspeitaram da versão da criminosa.

De acordo com informações da polícia, a mulher foi ouvida pela Justiça de Birigui (SP) e confessou o crime, dizendo que pediu para o amante dela matar o marido. Na audiência, o amante negou o crime.

A dupla está presa em cadeias da região e aguarda julgamento.

O caso
O gerente de uma fábrica de calçados, de 38 anos, foi assassinado na noite do dia 4 de junho de 2016 com um tiro na cabeça dentro da própria casa, no bairro Parque São Vicente, em Birigui (SP). De acordo com o boletim de ocorrência, ao chegar no local a polícia encontrou a mulher da vítima, uma secretária de 32 anos, na calçada e ela disse que havia acabado de chegar de um restaurante com o marido e que entrou primeiro na casa para ir ao banheiro.

A mulher disse ainda que, de repente, ouviu barulho semelhante ao de fogos de artifícios e quando saiu para ver o que era encontrou o marido caído no corredor com um tiro na cabeça.

No boletim de ocorrência consta que a mulher disse que o marido provavelmente tinha dinheiro guardado no quarto do casal, mas não soube dizer qual seria o valor. Ela disse à polícia que tentou achar o dinheiro, mas não encontrou e não soube informar se o marido teria usado a quantia sem avisá-la.

DEIXE UMA RESPOSTA