Justiça nega exame de sanidade mental a idoso acusado de matar mulher com quem tinha aulas de ensino religioso

0
Simone foi encontrada acorrentada à cama em Rio Preto (Foto: Reprodução/Facebook/Arquivo)

Idoso disse à polícia em Rio Preto (SP) que matou Simone Moura Facini Lopes, de 31 anos, porque estava apaixonado por ela.

Justiça indeferiu o pedido de exame de sanidade mental ao acusado de acorrentar e matar uma mulher que realizava trabalho voluntário e dava aulas ao autor do crime. O caso foi em uma chácara de São José do Rio Preto (SP), em março de 2017.

O pedido foi feito por João Dias, advogado de defesa de Francisco Lopes Ferreira, com o objetivo de comprovar a sanidade mental do acusado, que não seria responsabilizado penalmente pelo crime, mas seria internado em um hospital psiquiátrico.

Ao G1, o advogado disse que não vai recorrer da decisão divulgada no dia 6 de julho. “Já fiz minha parte de levantar os incidentes, mas a Justiça não quis acatar. O pedido foi feito para ter um laudo técnico em mãos. Agora o caso será encaminhado ao Tribunal do Júri, que ainda não tem data marcada”, afirmou.

Corrente usada para prender a vítima na cama (Foto: Marcos Lavezo/G1/Arquivo)
Corrente usada para prender a vítima na cama (Foto: Marcos Lavezo/G1/Arquivo)

Entenda o caso

Simone de Moura Facini Lopes frequentava a chácara onde foi encontrada morta regularmente. No local, ela dava aula de ensino religioso para Francisco. De acordo com o boletim de ocorrência, ela foi encontrada morta com ferimentos provocados por golpes de marreta na cabeça.

Suspeito de matar Simone foi encontrado debilitado e preso uma semana após o crime  (Foto: Arquivo Pessoal)
Suspeito de matar Simone foi encontrado debilitado e preso uma semana após o crime (Foto: Arquivo Pessoal)

Segundo a polícia, um homem que morava com Francisco foi quem chegou primeiro na cena do crime e chamou a polícia. Francisco foi preso uma semana após o crime, no dia 20 de março de 2017.

Ele confessou ter matado Simone e disse para ela que estava apaixonado. Por causa da declaração, Simone disse que iria parar de dar aulas para ele. Desesperado, ele acabou matando a mulher. A vítima ensinava o suspeito a ler e a escrever. O suspeito escreveu até uma declaração para a vítima em uma foto.

Suspeito escreveu declaração no verso de uma foto da vítima (Foto: Reprodução/TV TEM/Arquivo)
Suspeito escreveu declaração no verso de uma foto da vítima (Foto: Reprodução/TV TEM/Arquivo)