Justiça eleitoral nega recurso de vereador de Rio Preto que responde na Justiça por compra de votos

0
TRE negou recurso do vereador Fábio Marcondes (PR) (Foto: Reprodução/TV TEM)

Fábio Marcondes (PR) responde na Justiça por compra de votos e abuso de poder econômico. Advogado de defesa do vereador disse que vai pedir por recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou o recurso do vereador Fábio Marcondes (PR), de São José do Rio Preto (SP), no processo que ele responde na Justiça Eleitoral por compra de votos e abuso de poder econômico.

Nos embargos de declaração, Fábio Marcondes tenta arquivar a condenação contra ele, depois que foram anuladas as provas da polícia durante o inquérito. O vereador pede explicações sobre o que vai ser anulado no processo.

O advogado de defesa do vereador disse que vai fazer o mesmo pedido de embargos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A defesa do vereador tenta derrubar os depoimentos de testemunhas que foram obtidos a partir das provas já foram anuladas. Com a negativa do recurso, o processo volta para a primeira instância.

Entenda o caso

As investigações em torno de Marcondes começaram em outubro de 2017, quando a Polícia Federal achou uma lista com possíveis favores que o vereador teria feito em troca de votos. Depois disso, a Polícia Federal fez uma varredura no gabinete de Marcondes na Câmara e na casa dele. Até o celular do vereador foi apreendido na época.

Em fevereiro de 2017, Marcondes foi condenado à cassação do diploma de vereador, à perda dos direitos políticos e ao pagamento de multa.

Marcondes, que já foi presidente da Câmara, é investigado por subfaturamento das contas, tanto na confecção de uma revista que foi distribuída durante o período eleitoral, na prestação de contas do combustível usado na campanha, quanto no pagamento para cabos eleitorais.

O parlamentar foi reeleito para o atual mandato, com 8.095 votos. Segundo a PF, uma das denúncias refere-se a um gasto de campanha três vezes maior que o estipulado pela lei.