Justiça autoriza ex-soldado da PM condenado por matar estudante a cumprir restante da pena em liberdade

0
Diogo Belentani foi atingido no peito e morreu antes de chegar ao pronto-socorro em Araçatuba — Foto: Reprodução/Facebook

A Justiça autorizou que o ex-soldado da Polícia Militar Vinícius Coradim, de 23 anos, cumpra pena em regime aberto. Ele foi condenado a mais de nove anos pela morte do estudante Diogo Belentani.

De acordo com a Polícia Civil, o crime aconteceu no dia 15 de julho de 2017, em Araçatuba (SP). Os dois participavam de churrasco em uma chácara, quando a pistola do policial disparou e atingiu o peito do estudante, que morreu a caminho do hospital.

Coradim foi condenado a nove anos e seis meses de prisão por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, por fraude processual, por ter alterado a cena do crime, e disparo de arma de fogo. A decisão foi tomada durante júri popular realizado em dezembro de 2018.

Vinícius Coradim foi acusado de três crimes — Foto: Reprodução/TV TEM
Vinícius Coradim foi acusado de três crimes — Foto: Reprodução/TV TEM

Entenda o caso

O estudante Diogo Belentani tinha 21 anos quando foi baleado no peito com uma pistola ponto 40 durante um churrasco.

O PM alegou que o disparo foi acidental, mas para o Ministério Público, o policial agiu com a intenção de matar, por isso Coradim foi acusado de homicídio doloso.

Ainda segundo a promotoria, Vinícius Coradim admitiu ter alterado a cena do crime, que teria ocorrido após uma discussão entre os rapazes por causa de uma mulher que estaria envolvida com eles.

De acordo com a promotoria, ao alterar a cena do crime, o soldado da PM queria alegar que a vítima tirou a própria vítima, e também teria intimado testemunhas a mentirem.