Homem se passa por funcionário de concessionária e aplica golpe em Catanduva

0

Um novo tipo de golpe está sendo aplicado nos moradores da cidade de Catanduva. Como se já não bastasse os golpes mais conhecidos e frequentes como o “golpe do bilhete premiado”, “falso sequestro” e “ajuda a instituições assistenciais fantasmas”, agora os estelionatários criaram uma nova forma de tirar o dinheiro do trabalhador.

 
Na tarde desta segunda-feira (14), a vítima J.F., de 66 anos, procurou o Plantão Policial para informar que havia caído em um golpe na tarde de sexta-feira (11).

Segundo o boletim de ocorrência, por volta das 15h30 do dia dos fatos, a vítima transitava com o seu veículo Fiat/Palio, prata, com placas de Catanduva, pelas ruas do Centro, quando ao passar pela rua Ceará ouviu o impacto de algo arremessado na lataria de seu carro.

Ao chegar à rua Olinda, o motorista saiu do veículo e notou que havia vazamento de óleo e que o motor estava todo lambuzado. Nesse momento se aproximou um homem e ofereceu auxílio.

O desconhecido perguntou se a vítima possuía seguro no veículo e que poderia ajuda-lo a acionar a seguradora. A vítima entregou o cartão da seguradora para o homem, que efetuou uma ligação telefônica, simulando uma conversa.

O suspeito passou o celular para a vítima, tendo o interlocutor afirmado que a peça do carro que causou o vazamento de óleo tinha cinco anos de garantia e que a seguradora cobriria essa assistência.

O golpista disse para a vítima que trabalhava em uma concessionária de veículos localizada na cidade e que estava indo buscar um carro, mas que poderia solicitar a peça para o seu veículo através da corretora de seguros. Também informou a vítima, que a peça custava R$ 4.950, mas que precisava de uma garantia para fazer o serviço.

O homem afirmou que a vítima entregaria apenas uma entrada e o restante da dívida seria cobrada por meio de boleto bancário. A vítima sacou a quantia de R$ 2.500 de sua conta e entregou para o suspeito.

Durante o trajeto de ida e volta da agência bancaria, o golpista afirmou para a vítima que um funcionário de empresa especializada havia realizado a troca da peça no carro e que por ser pequena, o serviço foi rápido. O acusado mostrou apenas uma caixa vazia para a vítima, dizendo pertencer à peça nova, mas tudo fazia parte do golpe.

Na manhã de segunda-feira (14), a vítima foi até a concessionária de veículo para agradecer o auxilio do funcionário e pegar o cartão da seguradora de seu carro, mas para a sua surpresa foi informado que não havia ninguém com o nome de Rodrigo, como informado pelo golpista.

Em seguida, a vítima foi até a corretora de seguros, onde foi apurado que a empresa não havia sido acionada e que não fazia cobertura deste tipo de serviço.

O caso foi registrado como estelionato e será investigado pela Polícia Civil.

DEIXE UMA RESPOSTA