Homem é condenado a 38 anos de prisão por atear fogo em casa e matar bebê e esposa

0
Incêndio - Jornal bom dia
Incêndio em uma casa de Assis terminou com a morte de uma mulher e de um bebê de um ano — Foto: Mara Andriolo/Arquivo pessoal

Danilo dos Santos Costa foi condenado por duplo homicídio triplamente qualificado. Crime aconteceu em Assis (SP), em 2017.

O homem acusado de atear fogo na casa onde estavam a esposa e a filha de apenas um ano foi condenado a 38 anos de prisão. O crime aconteceu no início de 2017, em Assis (SP). A decisão foi divulgada nesta quarta-feira (17).

Danilo dos Santos Costa foi condenado por duplo homicídio triplamente qualificado, motivo torpe, meio cruel e sem chance de defesa às vítimas. Ele terá de cumprir sua pena em regime fechado.

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), essa é uma das mais longas penas aplicadas em um júri no município. O suspeito continua preso na penitenciária de Assis.

A filha de Danilo, Maria Eduarda Andrade, morreu carbonizada durante o incêndio que foi assistido pelo pai. A mãe da criança e companheira do acusado, Franciane Andrade Soares, de 23 anos, morreu logo em seguida por causa dos ferimentos.

A mulher dormia com a filha no quarto. Na sala, estavam a avó e outras três crianças, filhas do casal, de oito, seis e dois anos. Elas foram socorridas pelos vizinhos.

Uma das testemunhas relatou, na época, que precisou arrombar a porta para salvar as três crianças e a avó que estavam na sala, mas não foi encontrar o bebê.

A criança de um ano só foi localizada pelos bombeiros depois que o fogo foi apagado. A suspeita é de que ela tenha engatinhado para se esconder. A bebê morreu carbonizada ao lado da cama da mãe.

Menina - Jornal bom dia
Menina de um ano morreu carbonizada após casa ser incendiada — Foto: Reprodução/TV TEM

Danilo foi apontado desde o início pela polícia como suspeito de atear fogo na casa, depois de discutir com a mulher e trancar a porta da sala com cadeado pelo lado de fora

À época, o delegado Luiz Antônio Ramão apurou com vizinhos que as brigas entre o casal eram constantes, com uso de álcool e drogas.