Guardas doam sangue um ano após agentes serem baleados em assalto a joalheria em Rio Preto

0
Cleiton (em pé) conversa com guardas durante doação de sangue em Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)

Guardas fizeram a ação neste domingo (15) em agradecimento. Tiroteio em assalto terminou com dois guardas baleados e um jovem morto

Guardas municipais de São José do Rio Preto (SP) fizeram neste domingo (15) um mutirão de doação de sangue no hemocentro do Hospital de Base. A ação foi um agradecimento às doações feitas no ano passado para os guardas baleados em um assalto a uma joalheria no Calçadão. Neste domingo completa um ano do assalto.

A doação contou com cerca de 50 guardas. Dentre os guardas estava Cleiton Gomes, que perdeu parte da perna direita depois de ser baleado durante o assalto. Na época, ele recebeu 20 bolsas de sangue.

“Depois do susto inicial de perde uma perna, estou feliz, trabalhando e estudando. Agora é uma forma de gratidão, de amor, quando eu precisei a população veio e nada mais justo agora eu retribuir”, diz Cleiton.

Guarda doa sangue neste domingo (15) no Hemocentro de Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)
Guarda doa sangue neste domingo (15) no Hemocentro de Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)

O crime

O assalto a uma joalheria no centro de Rio Preto aconteceu no fia 15 de julho do ano passado. Além de dois guardas baleados, a ação terminou com a morte do estudante Pedro Henrique Bueno de Oliveira, que foi atingido por uma bala perdida.

O crime foi registrado por câmeras de segurança, tanto da joalheria como do centro da cidade. Os assaltantes chegaram em um carro e três homens descem e entram na joalheria. Outros dois aguardaram dentro do carro.

Quando os guardas chegam para ver o que estava acontecendo na joalheria, um dos ladrões do carro desce com uma metralhadora, atravessa a rua e atira contra os guardas Cleiton José da Silva Gomes e Tássia Tomoda Dourado. Duas balas perfuraram o braço e a perna direita do Cleiton e Tássia foi atingida na barriga.

Um ano após o crime a Polícia Civil conseguiu prender três suspeitos dos oito envolvidos no crime. Todos os envolvidos foram identificados e tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça. Cleiton e Tássia sobreviveram.

Cleiton em pé e Tássia caída após o tiroteio no Calçadão de Rio Preto (Foto: Reprodução)
Cleiton em pé e Tássia caída após o tiroteio no Calçadão de Rio Preto (Foto: Reprodução)
Ladrão que atirou contra os guardas em Rio Preto  (Foto: Reprodução)
Ladrão que atirou contra os guardas em Rio Preto (Foto: Reprodução)