Gols e busca por meias colocam Bruno Henrique no radar da seleção brasileira

0
Foto: Divulgação

Em 2016, ida para o Palermo impediu que o jogador fosse observado por Tite, velho conhecido que está à procura de opções para o meio-campo

Em busca de meio-campistas neste novo ciclo da seleção brasileira, a comissão técnica planeja observar atentamente Bruno Henrique. Capitão e autor de quatro gols nos últimos três jogos do Palmeiras, o volante quase entrou no radar há dois anos, mas a ida para o Palermo, da Itália, acabou adiando essa aproximação.

Em setembro de 2016, logo depois de estrear na Seleção, Tite buscava jogadores da posição para incluir em seu radar de observação. Rafael Carioca, então no Atlético-MG, não havia agradado nos treinamentos da primeira convocação. Bruno Henrique havia feito parte do Corinthians campeão brasileiro de 2015 sob comando do técnico.

Só que um mês antes, o volante acertou sua ida para o futebol italiano e a discrição de sua passagem pela Europa acabou virando o foco de Tite para outros nomes.

Bruno Henrique comemora um de seus gols sobre o Paraná (Foto: Marcos Ribolli)
Bruno Henrique comemora um de seus gols sobre o Paraná (Foto: Marcos Ribolli)

Quando Bruno Henrique foi contratado pelo Palmeiras, em junho do ano passado, a posição de primeiro volante da Seleção estava definida, com Casemiro e Fernandinho.

Em sua equipe, Bruno Henrique tem atuado tanto como primeiro quanto segundo homem de meio-campo. Em ambas, não se limita a marcar. Frequentemente pisa a área adversária e faz gols. De falta, de chutes de longa distância, de cabeça. Um repertório que seduz a comissão técnica de velhos conhecidos.

– Todo jogador sonha estar na Seleção. Comigo não é diferente. Se tiver oportunidade vou ficar muito feliz. Trabalhei com o Tite, conheço bastante o trabalho. Seleção brasileira é uma sequência do que você vem fazendo no clube. Acredito que qualquer jogador que esteja jogando em alto nível tem chance – disse o volante, há uma semana, ao Seleção SporTV.

Bruno Henrique fará 29 anos no dia 21 de outubro. Isso significa que terá 33 na Copa do Mundo de 2022, no Qatar. Não é um impedimento, essa era a idade de Fernandinho no Mundial da Rússia, por exemplo, mas o palmeirense terá concorrência pesada no setor.

Tite e Bruno Henrique já trabalharam juntos: conhecimento pode pesar (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)
Tite e Bruno Henrique já trabalharam juntos: conhecimento pode pesar (Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Tite e seus auxiliares pretendem dar ênfase ao meio-campo. Numa avaliação interna, foi o setor mais deficiente da Seleção na Copa do Mundo que terminou precocemente, com a derrota por 2 a 1 para a Bélgica nas quartas de final.

Fred (Manchester United), Arthur (Barcelona), Paquetá (Flamengo) e Douglas (Manchester City) são candidatos mais jovens a se tornarem opção no setor. Estar no radar não significa que Bruno Henrique será convocado, mas é um passo importante na filtragem que Tite costuma seguir para suas listas.

– O fato de o treinador te conhecer é uma coisa boa, ele sabe das tuas características, a maneira de você trabalhar. Ajuda, sim. O fator principal é você estar bem e em alto nível, fazendo o que o treinador da seleção brasileira espera de um jogador – acrescentou Bruno Henrique, autor de 11 gols em 2018, número próximo aos de Borja (15) e Willian (14), atacantes do Palmeiras.

Provavelmente no dia 17 de agosto, Tite vai anunciar os convocados para os amistosos contra Estados Unidos e El Salvador, nos dias 7 e 11 de setembro, respectivamente.