Golpista zomba de vítima e a chama de ‘otária’ em ligação;

0
Vítima diz que recebeu e-mail do Banco Central dizendo para ela procurar a polícia (Foto: Arquivo Pessoal)

Auxiliar de contabilidade caiu em golpe em São José do Rio Preto (SP).
Jovem pediria empréstimo de R$ 3 mil e pagou R$ 300 para ‘liberação’.

Uma auxiliar de contabilidade, de 26 anos, registrou um boletim de ocorrência em que afirma ter sido vítima de estelionato, na quarta-feira (1º), em São José do Rio Preto (SP). Além de ter perdido dinheiro, a mulher diz que foi ofendida pelos golpistas e foi chamada de “otária”. A vítima gravou a conversa (ouça o áudio acima). A polícia vai investigar o caso.

De acordo com o boletim de ocorrência, ela pediu um empréstimo de R$ 3 mil para uma empresa que encontrou por meio da internet. Para concretizar o empréstimo, a suposta empresa pediu que ela depositasse R$ 300 em uma conta corrente, que seria para um fiador.

A jovem disse em entrevista, nesta quinta-feira (2), que recebeu por e-mail contrato da empresa e que a ação foi ‘profissional’. “Não daria para suspeitar porque eles me enviaram contrato e tudo o mais. Só percebi que era golpe quando ligaram de novo pedindo para depositar mais R$ 390 a pedido do Banco Central”, conta.

Desconfiada, a vítima diz que entrou em contato com o Banco Central, que a informou não fazer qualquer pedido de depósito. “O Banco Central me disse que o CNPJ não fazia parte das financeiras atendidas por eles e que eu tinha caído em um golpe.”

Segundo a auxiliar de contabilidade, nesta quinta-feira os golpistas ligaram novamente para tentar concretizar o empréstimo. “Ligaram e, quando eu disse que já sabia se tratar de um golpe, me xingaram. Uma voz de mulher dizia que eu era trouxa e otária por ter feito o depósito. Ela me xingou com palavras de baixo calão. Eu disse para ela devolver meu dinheiro, porque além de não me emprestarem os R$ 3 mil, fizeram com que eu pegasse R$ 300 emprestados e vou ter que dar um jeito de devolver, sendo que não tenho”, reclama.

A jovem registrou boletim de ocorrência e a polícia vai investigar o caso. “Fui à delegacia e ao banco onde fiz o depósito. Tenho todas as provas guardadas e registradas. Quero denunciar para que ninguém mais caia neste golpe como eu”, diz.

DEIXE UMA RESPOSTA