Gerente investigado recebe R$ 10 mil e empresa nega aumento

0
Anilto já foi ouvido várias vezes pela CPI da Emurb

Apesar de empresa afirmar que gerente virou fiscal de tarifa, na folha de pagamento ele continua como gerente operacional e com variações de vencimentos.

Investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura supostas irregularidades na administração da Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb), Anilto Carlos Alves, gerente operacional aparece na folha de pagamento da empresa com vencimentos brutos de R$ 10.682,11 no mês de junho. No documento não consta promoção do servidor. Ele é apontado como um dos controladores dos talões da Área Azul, supostamente falsos que teriam sido vendidos por fiscais que eram supervisionados por ele.

O salário reforçado do gerente operacional só aparece na folha de junho, que é a última disponibilizada no Portal Transparência da Prefeitura. Nos meses de março a maio ele é visto com salário bruto de R$ 6.078,61. A folha apresenta variações de rendimento do investigado. Em janeiro deste ano, por exemplo, o vencimento bruto foi de R$ 8.947,82. Em março foi de R$ 6.108,02.

SABIA – Segundo o empresário Wagner Costa, principal testemunha da CP da Emurb, Anilto Carlos seria uma dos favorecidos pela comercialização de talões supostamente falsos. Em depoimento ao Ministério Público e à Polícia Civil (veja reprodução) Costa revelou que tomou conhecimento da existência de um esquema que envolveria Anilton, um funcionário citado como Gil e o ex-presidente da empresa, Alex Carvalho. À época da revelação, Alex negou qualquer participação.

O BOM DIA tentou contato com Anilto Alves para saber sobre o aumento em seus vencimentos apresentados na última folha de pagamento, mas ele não foi localizado. O governo nega que o funcionário tenha sido promovido. Em nota, a Emurb diz que Anilto é fiscal de tarifa de embarque no Terminal Rodoviário, e que recebeu décimo terceiro referente a férias.

Na folha, o funcionário aparece como gerente operacional. A nota da Emurb foi emitida no final da tarde e contesta a informação. “A Emurb informa que não houve aumento de salário. O valor a mais é referente ao 1/3 em razão das férias. Não houve promoção. O referido funcionário está atuando como fiscal de tarifa de embarque em áreas externas à rodoviária tais como salas Vips – em função não gerencial”, diz.