Eleitorado feminino é hoje o responsável pela maioria dos votos brancos e nulos

0
Mulheres estão perdendo força de voto por desacreditar nos políticos.

A política não me representa!

Este é o sentimento apontado pela maioria das mulheres que afirmam votar em branco, nulo ou se ausentar do voto. 58% na fatia dos que votam branco ou nulo, e 55% entre os que não se decidiram, segundo pesquisa recente feita no Estado.

Seis de cada dez mulheres na faixa etária dos 35 aos 44 anos, dizem ter intenção de anular o voto ou não ir votar, principalmente para o cargo de presidente. O ponto principal apontado por elas é estar desiludidas com os recorrentes escândalos de corrupção envolvendo a classe política.  A mesma preponderância feminina é observada no grupo dos eleitores indecisos.

Em ambos os casos, a participação de mulheres é superior se comparada ao número de votos que detêm no País, representam 52% do eleitorado nacional. ,

O eleitorado feminino é atualmente o responsável pela maioria dos votos do país, porém com uma minoria de decisão eleitoral, devido essas ausências apontadas na pesquisa.

Os homens além de deterem a grande parcela de representação dos cargos públicos (90% na Câmara dos Deputados) também detém a força do voto, já que são a maioria dos votos válidos das urnas.

Vale lembrar que o voto feminino no Brasil foi conquistado apenas em 1932, durante o governo de Getúlio Vargas. Porém foi assegurado somente às mulheres casadas, com autorização dos maridos, e às viúvas e solteiras que tivessem renda própria. Em 1934, as restrições ao voto feminino foram eliminadas do Código Eleitoral, embora a obrigatoriedade do voto fosse um dever masculino. Em 1946, a obrigatoriedade do voto foi estendida às mulheres, furto de uma grande luta por igualdade de direitos.