Eder Rocha – Advogado é acusado de ‘sumir’ com dinheiro dos clientes

0
Eder Rocha, responde a 3 processos e acusado de receber dinheiro e não repassar a clientes

 

Um grave acidente em fevereiro de 2009 mudou a vida do apo- sentado Edílson Aparecido de Souza,32 anos. Após ficar 15 dias em coma, perdeu o movi- mento do braço direito e sofreu um desvio no maxilar. Impossibilitado de trabalhar e precisando de dinheiro para pagar as despesas médicas e os remédios, procurou o advogado e amigo Éder Rocha,39 anos, para ingressar com ação de repa- ração de danos contra o motorista que causou o acidente, além do pedido de aposentadoria por invalidez. Segundo Souza, a ação de indenização nunca chegou a ser protocolada e o prazo expirou. A aposentadoria saiu um ano depois, garantiu o pagamento do salário, mais o ressarcimento dos salá- rios retroativos por meio de precatórios. Porém a vítima nunca viu a cor do dinheiro, avaliado em R$ 10 mil. “Demorou para ser liberado. Pelo me- nos era o que o meu advogado e amigo pessoal dizia”, fala Souza.

Estranhando a situação e desconfiando das justificativas do advogado, o aposentado pesquisou o processo no Fórum de Rio Preto  e descobriu que Rocha havia sacado o benefício 40 dias depois de ter assinado o acordo. “O valor de R$ 9.831,85 foi sacado em 13 de outubro de 201, que usou o dinheiro, mesmo eu já tendo pago os honorá- rios dele.” Nesse tempo,

Edílson Aparecido de Souza,32 anos. Vítima do Advogado Eder Rocha
Edílson Aparecido de
Souza,32 anos. Vítima do Advogado Eder Rocha

Souza fez várias dívidas e chegou a ficar preso por 36 hora, pelo atra- so no pagamento da pensão alimentícia das filhas. Há quatro anos, afirma, luta na justiça pa- ra receber do advogado o valor apropriado indevidamente. Neste ano, com a ajuda da ad- vogada Gina Paula Previdente, conseguiu no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJa penhora do veículo pertencente à esposa do acusado, depois de provar que Rocha casou em regime de comunhão de bens. O valor da ação contra o advogado, acrescido de juro está em aproximadamente R$ 38 mil. “A penhora do carro não vai cobrir o valor da ação, mas meu cliente pre- cisa receber alguma coisa.O doutor Éder Rocha não tem ne- nhum bem em seu nome, nem dinheiro no banco. A única al- ternativa foi pedir a penhora do carro da esposa dele”, disse a advogada. “O prejuízo finan- ceiro não foi maior do que mi- nha decepção”,afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA