Dólar sobe forte e bate R$ 3,97 com cena eleitoral no radar

0
(Foto: Reuters/Dado Ruvic)

Na sexta-feira, o dólar subiu 0,29%, a R$ 3,9146. Na semana, a valorização foi de 1,29%.

O dólar subia forte frente ao real nesta segunda-feira (20), no quarto pregão consecutivo de alta, com o mercado monitorando mais uma rodada de pesquisas de intenção de votos à Presidência da República e com a agenda doméstica esvaziada, segundo a Reuters.

Às 14h58, a moeda norte-americana avançava 1,31%, a R$ 3,9657. Na máxima do dia, chegou a R$ 3,9702. O dólar não ultrapassa o valor de R$ 3,97 durante as negociações desde fevereiro de 2016.

Já o dólar turismo era negociado a R$ 4,13, sem contar o Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF).

Na sexta-feira, o dólar subiu 0,29%, a R$ 3,9146. Na semana, a valorização foi de 1,29%.

Internamente, os investidores monitoravam a divulgação das primeiras pesquisas de intenção de votos após a inscrição das chapas candidatas às eleições de outubro. Eles temem que um candidato considerado menos comprometido com as reformas fiscais desponte nas sondagens.

No exterior, o dólar subia ante uma cesta e operava misto frente as divisas de países emergentes, com alta ante o peso mexicano e queda ante o rand sul-africano.

Os investidores estão na expectativa das conversas entre representantes de Estados Unidos e China nesta semana, com o sonho de que possam gerar algum avanço na disputa comercial entre os dois países, de acordo com a Reuters.

A lira turca recuava em relação ao dólar, depois agências de classificação de risco rebaixaram a nota de crédito soberana do país e da ocorrência de disparos de tiros na embaixada dos Estados Unidos em Ancara, segundo a Reuters.

A S&P reduziu a classificação da Turquia de BB- para B+, depois que os mercados fecharam na sexta-feira, citando a extrema volatilidade da moeda e prevendo uma recessão no próximo ano. A Moody’s rebaixou a classificação de Ba2 para Ba3 e mudou a perspectiva de qualificação para negativa, destacando o enfraquecimento das instituições públicas e a redução na previsibilidade da formulação de políticas do país.

No ano, a lira perdia cerca de 38% de seu valor em relação ao dólar neste ano, também de acordo com a Reuters.

Ainda no cenário externo, entrou em vigor nesta segunda o pacote de medidas do governo venezuelano para tentar conter a hiperinflação no país, prevista para 1.000.000% em 2018.

A principal ação será um corte de cinco zeros na moeda local, que passará a se chamar bolívar soberano. Além disso, a reforma vai vincular o bolívar à recém lançada criptomoeda petro.

Ação do BC

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 3,36 bilhões do total de US$ 5,255 bilhões que vence em setembro.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, a autoridade monetária terá feito a rolagem integral.