Deputados estaduais de SP gastaram R$ 15,5 milhões com gráficas em três anos

0
Conta das gráficas é a que mais pesa na verba de gabinete dos deputados estaduais

Conta das gráficas é a que mais pesa na verba de gabinete dos deputados estaduais

Deputados estaduais de São Paulo gastaram, em três anos, R$ 15,5 milhões com gráficas. O serviço é responsável pela maior parte da verba de gabinete dos parlamentares da Assembleia Legislativa paulista.

Cada um dos 94 deputados pode gastar até R$ 8 mil por mês com serviços gráficos, que incluem jornaizinhos e boletins informativos –uma forma de os parlamentares prestarem conta do próprio trabalho.

Os gastos entre 2015 e 2018 foi superior ao valor destinado a alugueis de imóveis e combustível.

Dos R$ 15 milhões gastos com gráficas, metade ficou na mão de trinta empresas. Por meio da Lei de Acesso à Informação, foi comprovado notas e boletins impressos de vinte gráficas. Outras dez não comprovaram a execução do serviço.

Uma dessas gráficas citadas está localizada na cidade de Marília, vinte e cinco notas emitidas para três deputados aparecem em um imóvel na rua das Gralhas. Mas lá não funciona nenhuma gráfica. No endereço fica a casa de Marco Antônio Dávila Alves, que emitiu as notas como microempresa.

De acordo com Alves, desde 2000 eles terceirizam o serviço e fazem a impressão em Bauru. Alves não passou o endereço onde são produzidos os jornais informativos.

O advogado Adib Kassouf Sad, especialista em contas públicas, explica que esse é o tipo de serviço não pode ser sub-contratado. “Uma gráfica que já não existe em tese não pode ser contratada pelo poder público”.