Depois da seca, a artilharia: veja os (muitos) altos e (poucos) baixos de Gabigol no Santos em 2018

0
Foto: Divulgação

Artilheiro da Copa do Brasil pela terceira vez na carreira e atleta com mais gols no Brasileirão até o momento, camisa 10 dificilmente permanece no Peixe na próxima temporada

Em alta no Santos, Gabigol não precisou entrar em campo nesta semana para deixar seu nome marcado mais uma vez na história do clube. Ao lado de Neílton, do Vitória, e Rômulo, do Avaí, todos com quatro gols na Copa do Brasil deste ano, o atacante se tornou artilheiro da competição pela terceira vez na carreira.

Com 19 gols em quatro edições, Gabigol é o maior goleador do Santos na história da Copa do Brasil.

– Meu primeiro objetivo era o título. Fico feliz com mais esse prêmio na minha carreira, mostra que o trabalho está sendo muito bem feito. Tenho 22 anos apenas e conquistei pela terceira vez essa artilharia. Realmente é algo para ficar marcado na minha história, me sinto honrado. Um torneio de muita história no futebol brasileiro e é uma honra fincar meu nome nele – disse Gabigol.

Gabigol alcançou a artilharia da Copa do Brasil pela terceira vez com o Santos — Foto: Ivan Storti/Santos FC
Gabigol alcançou a artilharia da Copa do Brasil pela terceira vez com o Santos — Foto: Ivan Storti/Santos FC

O 2018 de Gabigol

Nem tudo foi perfeito na segunda passagem de Gabigol pelo Santos. O atacante marcou quatro gols em seus primeiros quatro jogos, mas depois viveu longo período de seca: chegou a ficar oito partidas sem marcar entre fevereiro e abril.

Em agosto, quando o Peixe flertava com a zona do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, a torcida não parava de criticar o camisa 10, principal alvo dos protestos dos torcedores. Após a chegada de Cuca, o atacante manteve a má fase e foi até para o banco de reservas contra o Ceará, para perceber, segundo o técnico, que a culpa pelo mau momento do time não era somente dele.

Agora, nesta reta final de temporada, Gabigol deslanchou. O atacante voltou a ser adorado pela torcida e superou sua melhor marca em uma temporada. Em 2018, já tem 23 gols, dois a mais que 2014 e 2015, seus melhores anos até então.

Prova do amor da torcida é que sua camisa voltou a ser a mais vendida na rede de lojas oficiais do Santos. A comercialização do uniforme do atacante aumentou em 50% nos últimos dias. Desde a chegada de Cuca, Gabigol marcou 10 vezes em 15 partidas.

Fica ou não?

Principal referência técnica do ataque do Santos, o camisa 10 vive um dilema. A dois meses de seu contrato de empréstimo terminar, o jogador ainda tem futuro incerto, como deixou claro após a vitória contra o Corinthians.

– Faltam nove jogos para isso acontecer. É muito complicada (a permanência). Todos sabem a força que fiz para voltar. Não depende de mim. Tenho um time lá fora com contrato, depois a gente resolve isso. Quero deixar o Santos na Libertadores se eu sair. Se eu ficar, quero jogá-la – afirmou o atacante.

Gabigol ainda tem futuro incerto para 2019 — Foto: Wesley Rodrigues/Agência Estado
Gabigol ainda tem futuro incerto para 2019 — Foto: Wesley Rodrigues/Agência Estado

Gols de Gabigol em quatro edições de Copa do Brasil:

  • 2013: 1 gol
  • 2014: 6 gols (artilheiro)
  • 2015: 8 gols (artilheiro)
  • 2018: 4 gols (artilheiro)

O tom adotado pelo presidente José Carlos Peres quanto à permanência de Gabigol é de pessimismo. O mandatário ainda não joga a toalha, mas acha difícil que a Inter de Milão, da Itália, libere o camisa 10 por mais um ano ao Santos.

– A Inter cobra um valor que não dá para pagarmos, mas não está encerrado. Tem de ver técnico, jogadores que podem sair… Temos de discutir – afirmou Peres.

Também artilheiro do Brasileirão, com 14 gols, Gabigol pode aumentar a marca contra o Internacional nesta segunda-feira, às 20h (de Brasília), no Beira-Rio, pela 30ª rodada do torneio nacional.