Cremesp e PF vai investigar 25 médicos suspeitos de envolvimento com fraudes no Fies

0

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu sindicância para investigar a possível participação de 25 médicos no suposto esquema de venda de vagas e fraudes no Fies, Prouni e Revalida para estudantes de medicina ingressarem na Universidade Brasil, alvo da Operação Vagotomia, deflagrada pela Polícia Federal no dia 3 de agosto.

Segundo o Cremesp, investigações foram abertas ainda em novembro de 2018 e reúnem diversos indícios de irregularidades envolvendo a Universidade Brasil, campus de Fernandópolis (SP).

Outras unidades da rede de ensino, em oito municípios paulistas, também foram alvo destas mesmas investigações. Todo o material inédito reunido pelo Conselho também foi encaminhado, na sexta-feira (13), à Secretaria de Justiça e Cidadania de São Paulo.

De acordo com a PF, 22 pessoas foram presas durante a ação. Dessas, 10 ganharam liberdade na sexta-feira (13).

Contudo, outros 13 suspeitos permanecem à disposição da Justiça. Entre eles, a médica, Andréia Santos Souza Soares, de 43 anos, que foi presa no mesmo dia em que a Justiça determinou a soltura dos outros investigados, e o reitor da universidade, o engenheiro José Fernando Pinto Costa, de 63 anos.

Mesmo em liberdade, os suspeitos continuam sob investigação e terão que cumprir uma série de medidas cautelares determinadas pela Justiça Federal.

Ainda de acordo com o Cremesp, a sindicância apurará de que forma os médicos prestavam serviços nas unidades ligadas à Universidade Brasil e como os profissionais orientavam os alunos do curso de medicina.

Os nomes dos médicos não foram divulgados pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo, já que a sindicância instaurada correrá de forma sigilosa.