Convenções de hoje definem candidatos e coligações

0

Hoje é o útimo dia para que os riopretenses conheçam os futuros candidatos às eleições de 2016

Os partidos políticos que ainda não realizaram suas convenções tem prazo até hoje, sexta-feira. O grupo do prefeito Valdomiro Lopes da Silva define hoje quem será seu candidato. O mais provável, o deputado Orlando Bolçone ( PSB) que deve ter Ivani Vaz de Lima ( PSDB) como vice-prefeita, ela que atualmente ocupa o mesmo cargo. Outro partido que deve confirmar candidatura é o ex-secretário de Desenvolvimento, Carlos Arnaldo (PDT) tendo como vice-prefeito o ex-diretor da Emcop no governo Liberato Caboclo, Osni Onofre.
Além da expectativa dos candidatos a prefeito, também, acontecem as convenções de apoio aos majoritários, bem como as coligações nas chapas de vereadores. Aí que a coisa fica complicada. Conforme o BOM DIA divulgou, nos últimos dias, tem sido intensa a movimentação nos bastidores da política quando o PP de Paulo Pauléra tenta se encaixar em outros partidos, em sua maioria resistindo ao vínculo com medo de transformá-los em colonos de luxo. Na convenção de hoje, o PP fica na espera de saber onde vai desembarcar.
O mesmo dilema estão o vereador Márcio Larranhaga e o seu grupo do PSC. A convenção acontece a partir das 20 horas no bairro Boa Vista. O PSC ainda não decidiu com que vai coligar, pode ser o PSDB, PSB e o próprio DEM, disse um dos dirigentes. O PP está descartado também pelo PSC. Pelos lados do prefeito fala-se que manter Pauléra no grupo é essencial, pois o PP tem um dos três maiores tempos de televisão. Caso este tempo escape de Bolçone, provável candidato, haverá uma desiquilíbrio de forças.
Do outro lado, Edinho Araújo já pronto para a disputa assiste de camarote a briga de seus adversários. O grupo do ex-prefeito ainda espera lucrar com esta confusão e estará de braços abertos para receber os descontentes de última hora. Pelo visto, sexta-feira será um longo dia, que pode se prolongar durante a madrugada com acordos e os últimos acertos. Quem sabe na manhã de sábado as coisas estejam definidas e o jogo eleitoral finalmente entre em campo e comece a disputa.

PDT entra no jogo solitário e isolado com chapas próprias

Ninguém sabe ao certo quais os planos de Carlos Arnaldo e Silva nestas eleições. Nas primeiras pesquisas, o candidato a prefeito do PDT praticamentezerou. Isto não o desanima e lança sua candidatura hoje com o slogan: “Vamos virar a página”. Arnaldo tem pouco tempo de televisão, não coligou com ninguém e seus vereadores vão com uma chapa pura, onde pelo menos dois pré-candidatos tem algum potencial de votos. Marcos Faíska na última eleição teve 1737 votos e o ex-vereador Oscar Pimentel com 2.034, o restante da chapa não tem nomes muito conhecidos. A expectativa de Faíska é que aumente a votação e o grupo atinja o quociente eleitoral em torno de 14 mil votos.
Em suas últimas manifestações o pré-candidato Carlos Arnaldo divulgou que não pretende fazer coligações, muitos menos pedir secretaria em outros favores. Mesmo sabendo das dificuldades que vai enfrentar, com sua experiência, Arnaldo é político experiente e deverá esperar por um provável segundo turno para negociar alguma coisa. A não ser que o candidato do PDT mantenha a mesma postura deste primeiro turno se acontecer uma segunda eleição, ficar bem longe de todos, pouco provável.
O PDT já foi uma das maiores forças da política de Rio Preto. Chegou a ter o prefeito Liberato Caboclo, que na tentativa de se reeleger em 2000 teve legenda negada por Luiz Botaro Filho então presidente naquela época. Mesmo sem chapa proporcional, o PDT conseguiu eleger três vereadores. Na última eleição se coligou com o PRB e elegeu a vereadora Karina, lançando Manoel Antunes como prefeito que teve muitas dificuldades financeiras para levar sua candidatura em frente.

DEIXE UMA RESPOSTA