Comissão rejeita relatório final sobre vereador investigado por uso irregular de carro oficial

0
Gaguinho negou as acusações e disse que desconhece as gravações — Foto: Reprodução/TV TEM

Vereadores alegaram falta de base para aplicar punições propostas. Novo relator foi indicado e agora tem 30 dias para apresentar um novo relatório final.

A Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara de Votorantim (SP) rejeitou nesta segunda-feira (5) o relatório final do comitê que investigou a conduta do vereador José Antônio Oliveira (DEM), conhecido como Gaguinho, denunciado por uso irregular de um carro oficial do Legislativo.

O relatório final, rejeitado por cinco votos a um, pedia quatro punições ao vereador. Entre elas, a advertência por escrito, indicando que, na reincidência, o mandato dele pode ser suspenso.

Para rejeitar o relatório, a comissão alegou falta de base das punições ao regimento interno da Câmara, e decidiu indicar um novo relator. Agora, ele tem 30 dias para apresentar um novo relatório.

Entenda o caso

A Comissão de Ética e Decoro da Câmara de Votorantim investiga, desde junho deste ano, o vereador José Antônio de Oliveira por utilizar o carro oficial da Câmara de Votorantim para levar moradores para consultas médicas em São Paulo e outras cidades da região.

Além disso, o carro oficial aparece em uma foto sendo usado por ele para deixar uma cesta básica. Dentro veículo é possível ver na imagem uma cadeira de rodas no porta-malas.

Segundo o registro da Câmara, o parlamentar chegou a rodar com o carro um total de 42.276 km, distância mais do que necessária para dar uma volta ao mundo, cerca de 40 mil quilômetros percorrendo a linha do Equador.

Áudios divulgados pela TV TEM mostram que Gaguinho tinha conhecimento dos pedidos feitos ao seu gabinete, apesar de ele ter negado.

Em agosto, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP/SP) abriu um inquérito para investigar o vereador.